Coldplayer da Rodada: especial AHFODtour no Brasil!

30 abril, 2016

Como explicamos no post da rodada de março, a coluna Coldplayer da Rodada chega ao mês de abril em uma versão especial! É o último dia do mês em que muitos Coldplayers brasileiros viveram momentos inesquecíveis e a gente não poderia se despedir de abril sem destacar alguns desses momentos. O Coldplayer Adriano vai falar sobre a emoção de ocupar o telão e apresentar a banda no início do show, as Coldplayers Ana e Monique vão revelar a sensação de ficarem noivas no palco e a Coldplayer Gleidia vai nos contar como foi ver Chris Martin usando o presente que ela deu.

Adriano anunciou a banda para um Maracanã lotado!

1 Adriano Lima

1) Como você foi selecionado para apresentar o Coldplay no show no Rio de Janeiro?

Eu estava apoiado na grade e tinham cerca de 90 pessoas na minha frente, então chegaram três caras: um gringo e dois brasileiros. Eles explicaram que eram da produção, perguntaram meu nome e se eu queria participar do vídeo. Eu respondi: “é claro!!!”. Depois disso, eles pediram para eu escolher uma pessoa, para me acompanhar, e eu escolhi a Taila (uma amiga que estava na fila comigo). Então saímos da fila e fomos andando até chegar ao portão do Maracanã.

2) Como foi o processo de gravação do vídeo?

Entramos por um portão separado da Pista Premium Branca, andamos um pouquinho e chegamos ao backstage. Fiquei um pouco nervoso e sem acreditar que aquilo tudo que estava acontecendo era verdade (até hoje fico sem acreditar haha). Então a produção entregou um papel e tivemos uma ideia do que teríamos que falar. Começamos a gravar e rolaram alguns erros de gravação. Na verdade, foi muito legal e nunca tinha me divertido tanto como naquele momento. Inclusive, um dos gringos disse que nós éramos muito engraçados haha. Foi inesquecível!

Vídeo mostra Adriano e Taila anunciando o início do show no Rio! Créditos: Thiago Marques

3) Quais memórias você guarda do show?

Guardo tudo que aconteceu naquele dia. Até porque, foi o mais feliz da minha vida! Nunca irei esquecer o que vivi. 10/04/2016 foi uma data marcante, INESQUECÍVEL! Valeu a pena ficar no sol de 8h da manhã até às 16h da tarde e eu seria capaz de fazer tudo de novo por essa banda MARAVILHOSA. Tenho muito orgulho de ser fã do Coldplay!

Em São Paulo, Ana Cláudia fortaleceu ainda mais sua ligação com Coldplay e ficou noiva com a ‘benção’ de Chris!

2 Ana Cláudia Pim

1) Oh, let’s go back to the start’? Conte como e quando você começou a ouvir Coldplay.

Desde o começo do ‘sucesso’ da banda aqui no Brasil (com Clocks, Yellow, etc). Fui virar fã apaixonada mesmo em 2010, depois de ir ao show em São Paulo. Foi uma experiência tão fantástica que me deixou maluca!

2) Como a sua relação com a banda se tornou tão forte a ponto de estimular o sonho de ficar noiva no palco?

Coldplay é uma banda muito especial pra mim, me sinto conectada com as músicas, parece que elas foram feitas especialmente para alguns momentos da minha vida. Acho que todo fã se sente um pouco assim, né? Tive momentos muito complicados há uns anos e as músicas me acompanharam e me ajudaram muito. ‘Don’t Panic’ é uma música que me tocou tanto que até fiz uma tatuagem dela. Até mesmo quando eu e meu noivo começamos a namorar nossa música era ‘Sparks’. Ano passado fiz um intercâmbio para a Índia e esse ano eles lançaram ‘Hymn For The Weekend’, além de toda a vibe indiana no álbum. Coldplay é praticamente a trilha sonora da minha vida!

Arquivo de Ana Cláudia Pim

Arquivo de Ana Cláudia Pim

3) De que maneira você e seu noivo planejaram e de que modo conseguiram ser notados pelo Chris?

Começou com a compra do ingresso. Nós escolhemos pista Premium, para ficar o mais perto possível do palco. Também cheguei à fila super cedo (por volta das 7h da manhã) para garantir que íamos ficar na grade. Eu preparei uma faixa escrita “HELP US GET ENGAGED TONIGHT” (nos ajude a ficarmos noivos essa noite), em letras garrafais. Durante o show, cada vez que o Chris Martin passava por nós, a gente esticava a faixa! Posso jurar que, num dado momento, ele deu uma piscadinha pra mim do tipo “Ok, eu vi, fica fria!” hahaha.

Arquivo de Ana Cláudia Pim

Arquivo de Ana Cláudia Pim

Arquivo de Ana Cláudia Pim

Arquivo de Ana Cláudia Pim

4) Qual foi a sensação de noivar no palco do Coldplay?

Foi inacreditável! Do momento em que vieram tirar a gente da pista até quando nós chegamos em casa após o show, parecia que eu estava flutuando (de tão surreal). Eu acho que só comecei a acreditar, no que tinha acontecido, quando comecei a ver os vídeos na internet e era eu mesma em cima do palco. Depois desse dia, acho que estou ainda mais apaixonada pela banda, por nos proporcionar essa história maravilhosa e pelo meu noivo, que é doido o suficiente para fazer essas loucuras comigo. Eu tinha “A Head Full of Dreams” e agora eu tenho “A Sky Full of Stars”! Ah, e não se esqueçam: BELIVE IN LOVE! <3

Arquivo de Ana Cláudia Pim

Arquivo de Ana Cláudia Pim

No Rio, Monique insistiu no amor pelo namorado e pela banda e também ficou noiva no palco!

4 Monique Barreto Pessanha

1) Quando e como você começou a escutar Coldplay?

Por volta de 2006, eu era muito ligada a músicas (principalmente se ouvia em algum filme, na TV etc). Nós adorávamos ‘Smallvile’ e me lembro de uma cena, na segunda temporada, em que tocava ‘In My Place’. Não tenho certeza se foi a primeira interação, e provavelmente não foi a primeira música que ouvi da banda, mas foi a partir daí que comecei a prestar mais atenção neles.

2) Como a sua relação com a banda se tornou tão forte a ponto de estimular o sonho de ficar noiva no palco?

Apesar de conhecer antes disso, eu tenho uma relação forte com o Coldplay desde 2010. Lembro de ‘Viva La Vida’ como uma música que marcou essa parte da minha vida. Além disso, em 2012 passei por algumas situações ruins e o Coldplay estava lá comigo! Nessa época, meu noivo, as músicas do MX e eles eram o meu apoio. Além de me ajudar a enfrentar esse momento complicado, a banda se tornou trilha sonora do nosso relacionamento. Desde o comecinho eles estão com a gente e eu sonho em fazer esse pedido desde 2012 (a ideia surgiu com a possibilidade, infelizmente frustrada, de ir ao show que rolaria no Brasil em 2013).

3) De que maneira você e seu noivo planejaram e de que modo conseguiram ser notados pelo Chris?

Na verdade, meu noivo não sabia de nada, mas desde o anúncio da data do show eu já tinha em mente o pedido. Assim que comprei os ingressos enviei um email pra equipe do Coldplay na esperança de conseguir fazer isso com a ajuda dos meninos, mas infelizmente recebi a resposta: “acredito que a banda não poderá se envolver”, o que é super compreensível. Fiquei triste, porém segui em frente. Quando aconteceram os pedidos em São Paulo, fiquei muito chateada. Apesar disso, com o apoio de uma amiga, enxerguei o que rolou em São Paulo como uma oportunidade, tomei coragem e comecei a me preparar. Na véspera do show, fiz o cartaz sem o meu noivo ver o que estava escrito (o que foi difícil, pois moramos juntos) e o convenci a irmos mais cedo pra ficar na fila.

Arquivo de Monique Barreto

Arquivo de Monique Barreto

Assim que chegamos lá, éramos o segundo grupo pra pista comum. Meu noivo saiu para dar uma volta e eu aproveitei pra explicar ao pessoal da fila sobre o meu plano (e que bom que avisei). Assim que entramos, agarrei naquela grade e esperei. O show começou e eu sabia que eles viriam para perto eventualmente. Então, assim que eles chegaram abri o cartaz e o mantive aberto durante a apresentação no palco b. Com a mensagem exposta, cantei o mais alto que pude (principalmente em ‘Everglow’, porque não podia faltar o apelo emocional né?). Todos eles notaram e riram haha.

Monique segurando o cartaz em frente ao Chris. Créditos da imagem: Teo Hiramine

Monique segurando o cartaz em frente ao Chris. Créditos da imagem: Teo Hiramine

Minutos depois o Chris pediu para a equipe nos tirar da plateia e lá estávamos nós esperando pelo melhor momento de nossas vidas!

4) Qual foi a sensação de noivar no palco do Coldplay?

Inacreditável! Até hoje preciso rever vídeos para compreender a grandeza do que aconteceu. Aquele foi o melhor presente que poderíamos ter recebido da minha banda favorita.

Créditos: Teo Hiramine

Créditos: Teo Hiramine

Não dá pra esquecer a sensação de estar lá no palco com eles, cercada por tantos fãs maravilhosos e diante de músicas que marcaram a minha vida. Se eles já eram parte de nossa história antes, agora serão pra sempre!

Arquivo de Monique Barreto

Arquivo de Monique Barreto

É um gesto de carinho imenso, um privilégio. Com certeza algo impossível de esquecer! Mal posso esperar pra contar pros nossos filhos, netos, bisnetos etc. Além disso, o mais importante pra mim é a lição que levo: sonhe sempre e não desista de seu sonho! Como diz “Adventure of a lifetime”: ‘tudo que você quer está a um sonho de distância’.

Vídeo mostra momento da proposta. Créditos: Teo Hiramine

Não só dentro do estádio acontecem grandes emoções. No Rio de Janeiro, Gleidia encontrou Chris no hotel e o presenteou com um boné. Há poucos dias, quem ganhou o presente foi ela!

3 Gleidia Campos

1) ‘Vamos voltar pro começo’? Conte como e quando você começou a ouvir Coldplay

Em 2000 estava grávida da minha filha, então me lembro de ouvir uma música linda na TV. Me informei em uma loja e PASMEM… Era ‘YELLOW’. Comprei o CD na mesma hora e não parei mais!

2) De que maneira você planejou a confecção do boné?

Foi simples, a cena do Chris pichando Ri<3 no Rock in Rio nunca saiu da minha cabeça. Como sabemos, Chris ama bonés, então resolvi juntar as duas coisas. O que deu mais trabalho foi encontrar um boné com o tom de azul que ele gosta.

Arquivo de Gleidia Campos

Arquivo de Gleidia Campos

Arquivo de Gleidia Campos

Arquivo de Gleidia Campos

3) Como foi o momento em que entregou o boné?

Foram dias intensos, até mesmo cansativos. Abri mão de estar na grade do show para tentar entregar meu presente. Não teria conseguido sem a ajuda das meninas da página “Chris Martin Brasil”. Dany, Marianna e Marina me incentivaram todo o tempo. Quando Chris desceu para a grade do hotel, para dar autógrafos, eu implorei ao segurança que me deixasse entregar um presente a ele. Minha sorte foi não estar no meio do tumulto. Assim que Chris ia entrar no carro eu o chamei e disse: “Chris tenho um presente pra você”. Ele pegou o boné e disse: “Obrigado… Muito obrigado”. Sai de lá tremendo e chorando muito.

Arquivo de Gleidia Campos

Arquivo de Gleidia Campos

Arquivo de Gleidia Campos

Arquivo de Gleidia Campos

4) Qual foi a sensação de ver Chris Martin usando o presente que você deu?

Levou muito tempo para assimilar tudo… Até agora ainda é difícil de acreditar. Acordei na segunda-feira, dia 25.04, fiz uma xícara de café e liguei o notebook. Foi quando Marina, da página “Chris Martin Brasil”, havia me enviado uma notificação… PERDI O CHÃO… Ainda tenho o áudio no meu celular dizendo a minha irmã Aline que ele (Chris) tinha usado o MEU BONÉ. Acho que não tomei o café até hoje!

Imagem via Daily Mail

Imagem via Daily Mail

Imagem via Just Jared

Imagem via Just Jared

Imagem via Daily Mail

Imagem via Daily Mail

E assim terminamos essa edição especial da coluna ‘Coldplayer da Rodada’!

Adriano, Ana Cláudia, Gleidia e Monique: muito obrigado por dividirem tantas emoções com a gente e com nossos leitores. Foi uma honra contar tantas histórias incríveis e, assim, fechar com chave de ouro um mês tão importante para os Coldplayers brasileiros.

Para os que querem ser os próximos entrevistados, basta clicar aqui para saber como participar.

Após a exceção de abril, em maio o(a) Coldplayer voltará a ser escolhido(a) via sorteio :)

Boa sorte!

Vitor Babilônia

Vitor Babilônia é Editor-Chefe do Viva Coldplay e Roteirista da Rede Globo. Sua formação passa por instituições como Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e Vancouver Film School. Ele é fã da banda desde 2004.