Coldplayer da Rodada: Luciana Tozzi

30 outubro, 2015

Já é dia 30, mas não podemos dar ‘tchau’ para outubro antes de dizer ‘olá’ para a Coldplayer da Rodada! Este mês tivemos o privilégio de trocar uma ideia com a Coldplayer Luciana Tozzi Takeshita. Criadora de um grupo sobre a banda e integrante da equipe do VIVA, Luciana falou da sua vida de fã e ainda nos contou um pouco do que viveu ao viajar para Londres e visitar o estúdio da banda.

Tozzi


1) É inevitável começar a entrevista fazendo o questionamento: quando e como você se tornou um Coldplayer?

A primeira vez que escutei Coldplay foi assim que o “Parachutes” foi lançado aqui no Brasil (final de 2000/início de 2001). Eu gostava de passar parte das minhas tardes em uma loja de discos na minha cidade, no interior de SP, e sempre que eu chegava o dono colocava os lançamentos para eu ouvir. Foi então que ele colocou “Yellow” para tocar e eu imediatamente quis comprar o CD! A partir daí eu nunca deixei de acompanhar a banda.


2) Com tantas músicas incríveis nessas quase duas décadas de Coldplay, qual você escolheria para ser trilha sonora de algum momento especial de sua vida? 

(Lu não conseguiu escolher apenas uma canção, mas destacou três que marcaram momentos muito importantes da vida dela):

1 – Yellow. Foi a primeira música que escutei da banda e ouvi-la posteriormente em um show foi uma das coisas mais incríveis que já vivi! Quando os primeiros acordes começaram no RIR, passou um vídeo em minha mente. Lembrei de tudo que vivi com a banda e me toquei que finalmente estava os vendo ao vivo: emoção e lágrimas ao mesmo tempo!
2 – Shiver. Essa música tem um significado muito importante na minha vida! Em 2004, conheci um garoto e me apaixonei por ele imediatamente e a única coisa que tínhamos em comum era gostar de Coldplay! Eu tentei, ao longo do ano todo, procurar um jeito de contar para ele como eu me sentia, mas não tinha coragem porque achava que ele não tinha interesse em mim. Foi então que ele me pediu o CD do ‘A Rush’ emprestado e eu, ao emprestar, escrevi em uma cartinha a letra de “Shiver” (até porque, tem música que represente melhor um amor não correspondido? rs). E a partir dali, ele me pediu em namoro e hoje estamos casados! Coldplay, obrigada por ter me ajudado nessa! \o/
3 – Life In Technicolor ii. Se não fosse a banda talvez eu nem tivesse me casado, por isso não pude deixar de escolher uma música do Coldplay para tocar na cerimônia… E achei “Life In Technicolor II” perfeita para o momento!

LucianaVivaColdplay5

Arquivo pessoal da Luciana


3) O Coldplay já veio ao Brasil quatro vezes. Você teve a oportunidade de ir a algum dos shows? Já se meteu em alguma aventura ou fez alguma loucura pela banda?

Só tive oportunidade de ir em 2011. Infelizmente em todos os outros shows eu não tive condições de sair da minha cidade para ir! Mas em 2011 cheguei ao RIR cedo, por volta das 10, com a intenção de ficar bem perto da grade. E consegui! Vi o show de pertinho!

LucianaVivaColdplay4

Arquivo pessoal da Luciana

A última aventura que fiz por Coldplay foi ir à Londres, em 2013, e ficar horas sentada no famoso banco esperando alguém aparecer! Fui ao estúdio (Bakery) e percebi que estava acontecendo a maior movimentação. Aí o Matt (sim, o roadie) veio falar comigo! Ele perguntou o que eu queria e eu disse que era entregar uma bandeira (a bandeira que fiz para um participante do Coldplay Hill entregar para a banda no show em Praga, escrita “Don’t let it break our hearts”, que era uma campanha contra o cancelamento dos shows aqui, mas ele não conseguiu entregar), então ele falou que a banda não estava lá no dia devido à reforma que o estúdio estava passando. Depois ele perguntou de onde eu vim e respondi que era do Brasil. Ele ficou surpreso e falou: “oh fuck!” e continuou: “Você veio a Londres SÓ por isso?” Eu respondi que sim (nem comentei que estava em lua de mel rs) e ele soltou um: “OOHHHH SHIT, DON’T DO THAT” e me pediu para esperar, pois ia tentar achar alguém da banda. Ele passava toda hora por mim e falava “calm down”, mas eu estava aflita! Afinal, ficar tantas horas sentada significava não conhecer a cidade.

LucianaVivaColdplay

Arquivo pessoal da Luciana

Umas três ou quatro horas depois, surgiu uma mulher da produção (não lembro o nome dela), trouxe fotos autografadas e pediu a bandeira! Eu entreguei e ela pediu meu endereço. Me dei por satisfeita e fui embora, só dei uma passadinha na frente da casa do Chris por curiosidade também! Chegando à minha casa, um mês depois, vi que havia recebido um pacote vindo de Londres. Quando abri me surpreendi com a bandeira autografada pela banda, um dvd, uma camiseta, uma foto autografada e algo que parece uma credencial para show, na verdade duas e também autografadas! Ainda hoje não tenho palavras para descrever a emoção de ter vivido tudo isso! Valeu cada minuto!

LucianaVivaColdplay1

Arquivo pessoal da Luciana


4) Agora imagine que você fosse responsável pelo setlist do próximo show do Coldplay. Quais seriam as cinco músicas que você jamais deixaria de fora?

“Yellow”: é um hino! Onde tudo começou!
“Fix You”: uma das músicas mais lindas de todos os tempos! Não pode faltar em shows, pois aquele momento do solo é como se nosso coração saísse pela boca de emoção!
“Viva la Vida”: pode parecer um pouco clichê, mas todo fã de Coldplay precisa cantar em plenos pulmões o famoso “ô ô ô ô ô” para sentir o show!
“Lovers in Japan”: com ou sem borboletinhas, uma música maravilhosa!
“Amsterdam”: minha preferida, então por mim ela tocaria em todos!

LucianaVivaColdplay6

Arquivo pessoal da Luciana


5) Em 2005, Coldplay fez um cover de ‘Can’t Get You Out Of My Head’ (Kylie Minogue) no palco do Glastonbury. Já fizeram também cover de ‘We Found Love’ (Rihanna), ‘When You Were Young’ (The Killers) entre outros. De qual música você gostaria que a banda fizesse um cover?

Minhas bandas preferidas são Bon Jovi e Coldplay, então acho que seria muito interessante ver Coldplay tocando o maior hino do Bon Jovi: “Livin’ On A Prayer”! Nem imagino como sairia essa mistura rs


6) Além da música e admiração pela banda, há também a interação com outros fãs: seja em fila de shows, nas redes sociais, ou fora da internet. Antes de voltar para a equipe do VivaColdplay, você já administrava o grupo ‘Coldplay Hill’ no facebook. Conte para a gente como surgiu a ideia de criar o grupo e fale um pouco de como você interage com os outros fãs.

A ideia de montar um grupo no Facebook surgiu em 2011, com um amigo que fiz na comunidade Coldplay BR (do falecido Orkut)! Estava todo mundo migrando para o Facebook e então decidimos criar um grupo. Foram muitas noites conversando, discutindo como seria a migração, o nome do grupo, regras etc. Inicialmente eram pouquíssimos membros, porém esses rendiam discussões inteligentíssimas sobre a banda, que era o que queríamos! Com o passar do tempo o grupo se tornou parte de quem eu sou! Me dedico o máximo que posso: trazendo notícias, promovendo integração entre membros, elaborando camiseta para show, sorteios, amigos secretos… O tempo todo pensando no grupo!

LucianaVivaColdplay3

Arquivo pessoal da Luciana

Analisando a história do ‘Coldplay Hill’, é possível dizer que o grupo cresceu mesmo quando um membro ganhou a promoção do Multishow para ver um show em Praga. Em uma entrevista, para alguma mídia social, ele falou o nome do grupo e foi um boom! Independente disso, a parte mais legal ainda são as discussões e nossas famosas enquetes, onde os colineiros (como são chamados os membros) defendem, com unhas e dentes, suas músicas favoritas para que elas não sejam eliminadas do jogo. No grupo fiz grandes amigos, que vieram da internet para a vida! Nele eu converso com todos os fãs e me sinto em casa!


7) (Pergunta da Mariana Feijó) Se você se encontrasse com o Coldplay o que você perguntaria para cada um dos integrantes?

Fiquei pensando nisso enquanto fiquei sentada no banco em frente à Bakery e não cheguei a nenhuma grande conclusão! rs Acho que perguntaria, para todos juntos, como foi mudar das eras Parachutes/A Rush/X&Y para o Viva la Vida, pois para mim foi uma das transições mais diferentes, imprevisíveis e incríveis que já ouvi (musicalmente falando) e tenho muita curiosidade de saber como foi o processo!


Muito obrigado, Lu! Foi empolgante e inspirador contar um pouco da sua história com o Coldplay.

E então, curtiu e quer tentar a sorte para protagonizar a próxima entrevista?
É muito simples! Basta clicar aqui para saber como participar. Esperamos a sua inscrição. Boa sorte!

Vitor Babilônia

Vitor Babilônia é Editor-Chefe do Viva Coldplay e Roteirista. Sua formação passa por instituições como Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e Vancouver Film School. Ele é fã da banda desde 2004.

error: Content is protected !!