Chris Martin no Howard Stern – parte 2

21 março, 2012

 Parte 2 da entrevista que Howard Stern conduziu com  Chris Martin. (Leia parte 1 aqui.)

Parte 2

(Clique aqui para assistir à entrevista.)

[Chris]: …1 da manhã, geralmente é a minha hora mais criativa e geralmente estão todos dormindo, então eu desço e sento por umas duas, três horas e fico lá praticando…
[Howard]: Então é como um emprego. 1 da manhã, você vai acordar e escrever música.
[Robin]: Isso deve dificultar viver com você, não?
[Chris]: É difícil de qualquer jeito.
[Howard]: Você escreve essas músicas no corpo da Gwyneth. Você tem que fazer alguma coisa.
[Chris]: A bunda dela está coberta de ideias para músicas.
[Howard]: Que sensual! Uma música surge na sua cabeça e o que você faz? Você as toca no piano?
[Chris]: Às vezes eu não as tenho na cabeça. Às vezes eu vou lá e como um pescador, sento lá e [toca o piano] e fico de sacanagem por horas e horas.
[Howard]: Fica de sacanagem no piano?
[Chris]: Sim.
[Howard]: E você sempre escreve no piano? Nunca no violão?
[Chris]: Eu posso falar “de sacanagem” aqui?
[Howard]: Não. Nós vamos ter problemas. Só eu posso dizer “de sacanagem”. E não diga “merda”. Então, você alguma vez pega o violão pra escrever ou é sempre o piano?
[Chris]: Tanto faz. Qualquer um dos dois.
[Howard]: E sua família fica brava com você porque eles estão tentando dormir e você está lá tocando?
[Chris]: Não, nós temos um estúdio que fica na mesma rua, tipo uns10 metrosde distância.
[Howard]: Então você tem um estúdio na sua casa?
[Chris]: Não na casa, mas tipo, umas oito casas de distância.
[Howard]: E esse é o seu lugar, você vai pra lá?
[Chris]: Sim, sim.

[Howard]: Então você diria que é obcecado pelo trabalho, já que isso acontece toda noite?
[Chris]: Eu diria que… Sim.
[Howard]: Eu não entendo o acordo financeiro entre você e o Coldplay. Você escreve as músicas…
[Chris]: Eu começo as músicas.
[Howard]: Você escreve toda a música e…
[Chris]: Não, eu começo as músicas!
[Howard]: O que isso significa?
[Chris]: Bem, é como você com esse programa. Você tem o Freddie e a Robin e… Eu esqueci o seu nome, desculpa.
[Howard]: Todo mundo esqueceu o nome dele. Quando ele ferrar o seu piano você vai esquecer o nome dele também!
[Robin]: Tudo bem esquecer o nome dele!
[Howard]: Todo mundo esquece o nome dele. É Scott.
[Chris]: O que separa um artista solo de alguém como eu é que eles fazem tudo desde a concepção até o nascimento, todas as partes do arranjo, enquanto eu posso ter um [toca o piano] três acordes e ter uma canção ali, mas ainda não foi arranjada e materializada, ainda não tem um riff de guitarra. Eu não acho que nada foi terminado até que todos tenham colocado suas partes no trabalho.

[Howard]: Então vocês fizeram um acordo em relação a dividir os direitos autorais, vocês dividem em quatro partes iguais?
[Chris]: Nós dividimos 20/20/20/40.
[Howard]: 20/20/20/40 e você ganha os 40?
[Chris]: Eu nunca disse isso pra ninguém antes, mas você perguntou de forma educada.
[Howard]: Obrigado. Mas sério, isso faz sentido pra mim, porque acho que você está sendo um pouco humilde…
[Chris]: Não é humildade. É importante manter a química da sua banda intacta.
[Howard]: Mas eu não acho que o seu baterista está acordado ás 1 da manhã escrevendo letras e músicas.
[Chris]: Mas ele está lá ás 10 da manhã, pronto para…
[Howard]: Bater naqueles tambores.
[Chris]: Sim, ou tentar a mesma música o dia inteiro.
[Howard]: E você valoriza isso de verdade?
[Chris]: E se ele ferrar com a bateria, a música toda está arruinada.

[Howard]: Por que você expulsou o baterista da banda em certo momento?
[Chris]: Ele era bonito demais, eu me sentia ameaçado.

[Howard]: Parte do seu trabalho é ser bonito. Você se exercita, você recentemente perdeu muito peso, você tem que ser bonito…
[Chris]: Eu não perdi tanto peso assim.
[Howard]: Mas você se exercita e cuida do seu corpo. Porque parte do trabalho de ser vocalista – Mick Jagger seria o primeiro a dizer – você precisa ter uma boa aparência…
[Chris]: Bem, eu comecei a me exercitar depois de ver muitos shows do Bruce Springsteen uns dois anos atrás e ele está em ótima forma. Ele está muito melhor que eu e tem idade pra ser meu avô.
[Howard]: Eu fico irritado com pessoas que acham que podem estar acima do peso e ser rockstars. Não dá!

[Chris]: Porque você fica irritado Howard?
[Howard]: Porque eles não entendem que na indústria do entretenimento, um dos componentes é que sua aparência tem que estar à altura. E não há vergonha em admitir isso!
[Robin]: Então a aparência do Ozzy está à altura?
[Howard]: Sim. A aparência do Ozzy sempre esteve à altura!
[Chris]: Sim, a aparência dele está à altura.
[Robin]: Ele parece estar caindo aos pedaços!
[Howard]: A aparência dele é diferente da humanidade.
[Howard e Chris]: Mas faz parte da imagem dele.
[Chris]: As pessoas ficariam desapontadas se não parecesse que ele está caindo aos pedaços.

[Howard]: Um show ao vivo não é uma experiência visual?
[Chris]: Posso só voltar ao que eu estava dizendo? Eu acho que a única coisa a qual o público responde é se eles acharem que você não se importa. Então se você começou gordo ou alto, e essa é a sua imagem, então ótimo. Mas se transparecer que você não dá mais a mínima, e passa o tempo todo farreando ou comendo, ou gastando…
[Howard]: É um grande ‘f*-se’ para o público!
[Chris]: Sim, mas eu não concordo que você tenha que ser magrinho, acho só que tem que parecer que você se importa.

[Howard]: Quantos anos você tinha quando começou a se apresentar em clubes?
[Chris]: 19.
[Howard]: Você tinha 19 quando começou a ganhar algum dinheiro, se sentava ao piano e tocava. Você começou como artista solo ou foi sempre com a banda?
[Chris]: Eu sempre estive em algumas bandas durante o ensino médio.
[Howard]: Foi sempre com banda? Você alguma vez subiu ao palco sozinho?
[Chris]: Algumas vezes, mas eu não gosto muito disso.
[Howard]: Por quê? Você se sentia perdido?
[Chris]: Sim, como agora.
[Howard]: Você se sente vulnerável?
[Chris]: Eu me sinto um pouco vulnerável, mas eu gosto do seu programa e o resto da banda disse que era cedo demais.
[Howard]: Obrigado. Na verdade, eles disseram ‘você quer só o Chris ou a banda toda’? E eu disse, dada a possibilidade de escolha, eu prefiro falar com você sozinho porque eu gosto dessa vulnerabilidade, eu gosto que você se sinta meio nu aqui. Eu entendo isso, veja Simon e Garfunkel. O motivo pelo qual eles existiram como dupla em primeiro lugar é porque Paul Simon era tão tímido que ele precisava alguém lá com ele. Não era que Paul Simon não conseguiria ter uma carreira solo. Você sonha em ter uma carreira solo?
[Chris]: Não. De maneira alguma.
[Howard]: Você não deixaria a banda?
[Chris]: De maneira alguma.
[Howard]: Sua esposa não te disse, ‘porque nós estamos dividindo dinheiro com esses caras? Você é capaz de fazer isso sozinho. Levante sua bunda e vá para o palco sozinho. Vamos fazer isso acontecer de verdade’.
[Chris]: Ela diz isso na maioria das manhãs.
[Howard]: Por isso que você a ama.
[Chris]: Por isso que eu a amo.

[Howard]: Sabe, nós estamos falando de casamento, e eu estou pensando nisso. Você é a única pessoa que pode responder isso por mim.
[Chris]: Sério?
[Howard]: Sério, porque você é casado com uma mulher famosa. E eu sei que muito do seu tempo é gasto agindo como ‘ei, nós não somos casados’. Vocês não andam no tapete vermelho juntos e esse tipo de coisa. Ouça, eu sou casado. Eu fico tão animado de andar em qualquer lugar com minha esposa. Eu não ligo. Eu não entendo porque certas pessoas, como Beyoncé e Jay Z que agem como se não fossem casados. Porque você e sua esposa não podem andar juntos no tapete vermelho? Eu não entendo!
[Chris]: Você quer a resposta sincera? É porque isso tornaria público algo que não foi feito pra ser. Por acaso, esses são nossos respectivos empregos.
[Howard]: Mas não é divertido andar com ela?
[Chris]: Não, não é divertido.
[Howard]: Você tem uma esposa linda e excitante!
[Chris]: Sim, isso é ótimo, mas nós podemos fazer outras coisas.
[Howard]: Mas você anda no tapete vermelho com sua banda, e não com sua esposa.
[Chris]: É porque nossa banda está vendendo alguma coisa. O tapete vermelho é para vender coisas.
[Howard]: Então, isso é uma coisa que você vai manter privada?
[Chris]: Não, é que nós não temos nada pra vender. Nós não somos um produto. É apenas um relacionamento. Por acaso eu faço isso e ela faz aquilo. Você me entende?
[Howard]: Eu entendo. Mas a alegria que eu tenho de passar tempo com minha esposa, mesmo em uma situação pública, por exemplo, você diz que com a banda você se sente protegido, eu me sinto protegido quando a minha esposa está comigo, como minha melhor amiga, e em algumas situações eu me sinto reconfortado por tê-la do meu lado e isso supera qualquer problema com privacidade.
[Chris]: Ok, eu tenho esse sentimento em outras maneiras. Eu não tenho uma resposta boa pra você!
[Howard]: Você obviamente é mais seguro que eu.
[Chris]: Eu não acho que é isso. Eu acho que é uma coisa diferente, eu não sei explicar.
[Howard]: Talvez seja uma coisa de estrelas, tipo, é a coisa a se dizer, “ei, nós não queremos que a imprensa tenha fotos nossas”.
[Robin]: Mas eles fazem conferências entre todas as estrelas e elas decidem?
[Howard]: Mas muitas estrelas fazem isso. O Chris não é o único fazendo isso, parece que todos fazem!
[Robin]: Mas é isso que eu estou dizendo, eles têm uma reunião em Hollywood e todos decidem?
[Howard]: O Bruce Springsteen anda com sua esposa…
[Chris]: Com Patty, sim.
[Howard]: Sim, ele anda com a Patty.
[Robin]: Mas ela também está na banda!
[Chris]: Ela está na banda, você tem razão, Robin. Confira seus fatos!
[Howard]: Deixa eu e a Robin debater isso. Você nem precisa estar aqui.
[Chris]: É o que te deixa mais confortável, certo? Você diz que eu sou famoso, mas você é 10 vezes mais famoso que eu.
[Howard]: Sou? Eu sou 10 vezes mais famoso que você? Você vendeu vários álbuns, todos conhecem o Coldplay e a sua música.
[Chris]: Não cara. Não vamos tornar isso uma competição. O que eu estou dizendo é que você tem que fazer o que te deixa mais confortável, e nós não sentimos muito confortáveis nessa situação.
[Howard]: Sério? Eu acho que você deveria tentar. Eu acho que você se sentiria muito confortável. Vocês dois são muito charmosos. Por que não?
[Chris]: Obrigado, Howard. Você está sendo muito simpático, obrigado.

[Howard]: Ok, então vamos voltar, porque eu quero entender a trajetória da sua carreira. Então você começa a se apresentar e escrever músicas com 11 anos. Primeiro grande sucesso com o Coldplay foi Yellow. Quantos anos você tinha quando a compôs?
[Chris]: 21 ou 22. Talvez 23, eu não lembro.
[Howard]: Quando você compôs Yellow, você sabia que era um sucesso?
[Chris]: Bem… Sim.
[Howard]: Como você sabia?
[Chris]: Bem, eu tive esse sentimento, “caramba”!
[Howard]: “Isso é bom”?
[Chris]: Bem, eu acho que com todas as nossas músicas que foram sucessos, eu não sei exatamente como elas aconteceram. É um velho clichê, todos falam isso, Paul Simon, todos os compositores falam que as músicas boas, elas meio que saem de você.

[Howard]: Quando você faz um disco, você sabe que algumas músicas não são comercialmente viáveis, você as coloca no disco porque você as ama, mas você sabe quais serão os sucessos?
[Chris]: Nós sabemos quais não são singles. E talvez agora isso seja uma preocupação maior, porque ninguém compra discos mais, mas nós ainda estamos nesse negócio, então nós precisamos desse tipo de percepção, mas nós sabemos que essa música nunca será muito popular, mas ela se encaixa no conceito como um todo, entende?
[Howard]: Você odeia o que aconteceu com a indústria musical?
[Chris]: Não, ódio é muito forte!
[Howard]: Ódio no sentido de que não é mais um negócio em termos de vender discos mais, vocês podem sair em turnê porque tem muitos fãs.
[Chris]: Mas nós não entramos nessa por causa disso. Se você voltar à época do Shakespeare, músicos e artistas estavam trabalhando para patronos, talvez nós só estejamos saindo desse padrão.
[Howard]: Como você se sente com o fato de que antigamente se você escrevesse uma música e fosse um sucesso você venderia milhões e milhões de discos e hoje em dia qualquer um pode piratear e conseguir de graça?
[Chris]: Bem, eu não posso fazer nada em relação a isso. Eu amo o que eu faço e se é isso que está acontecendo, tudo bem.
[Howard]: E você tem essa atitude tranquila de verdade?
[Chris]: Sim.

[Robin]: Eles estão se saindo muito bem, vocês venderam mais de quatro milhões de álbuns, certo?
[Chris]: Quanto?
[Howard]: Quatro milhões? Ele venderam…
[Chris]: Nós vendemos mais de 300 cópias.
[Robin]: Para, Quantos vocês venderam de verdade?
[Howard]: Eu te digo o número exato.
[Chris]: Não vamos fazer isso, isso é nerd! Ninguém dá a mínima!
[Howard]: Eu dou a mínima! Eu te tiro daqui se você tiver vendido só 3 milhões!
[Robin]: 50 milhões!? Nossa, onde eu estava com a cabeça!
[Howard]: Se ele tivesse vendido 3 milhões, ele estaria sentado em casa com os pais e eles estariam dizendo pra ele voltar pra faculdade.
[Chris]: Então, eu acho que se as pessoas viessem para nossos shows e ninguém estivesse sendo pago nenhum centavo, seria problema, mas…

[Howard]: Quanto demorou pra escrever Yellow?
[Chris]: 10 minutos
[Howard]: Sério? Em outras palavras, você a ouviu na cabeça?
[Chris]: Eu não a ouvi, mas ela apenas saiu. Eu te digo exatamente o que aconteceu. Nós estávamos no País de Gales e meu microfone estava quebrado. Eu estava esperando pra começar a gravar outra coisa. Eu estava pensando no Neil Young e eu estava tentando imitá-lo pra fazer as pessoas rirem.
[Howard]: Eu amo o Neil Young.
[Chris]: Então eu comecei a fazer isso [toca o piano]. E a noite estava muito estrelada e eu fiz “Look at the stars…” Eu não consigo imitar o Neil Young de jeito nenhum, mas foi assim que saiu, eu estava tentando fazer isso. Eu nunca contei isso pra ninguém antes.
[Howard]: Você começou a imitar o Neil Young e saiu Yellow, já com as letras?
[Chris] Eu pensei ‘Opa, isso é bom!’.
[Howard]: Você pode tocá-la um pouco da maneira como você fez naquela época?
[Chris]: Sim, eu tenho que trocar para o violão, tudo bem?
[Howard]: Claro, se você está disposto a fazê-lo, troque para o que você quiser! Eu estou feliz com isso. Eu não sabia que você tocava violão também, isso é legal.
[Robin]: Ele disse que compõe nos dois!
[Howard]: Eu gostaria de saber tocar qualquer coisa.
[Chris]: É só começar cara.
[Howard]: Seus filhos tocam algum instrumento?
[Chris]: Sim, um pouco.
[Howard]: Você já falou pra eles nunca tocarem o clarinete ou o violino, que a guitarra e o piano são os instrumentos legais pra aprender?
[Chris]: Eu não falei nada desse tipo.
[Howard]: Eu diria isso pra eles.
[Robin]: Você nunca diria nada disso pra alguém!
[Howard]: Eu certamente diria!
[Robin]: Eu estava falando com o Chris!
[Howard]: Por que o Chris não diria isso pra alguém?
[Chris]: Você nunca vai tocar a p* do trombone!
[Howard]: Meus pais me deram um clarinete. Eu queria me enforcar. Esse rosto com um clarinete, eu nunca iria conseguir pegar ninguém!
[Robin]: Esse rosto foi feito para o clarinete!
[Howard]: Com a guitarra e o piano dá pra fazer um sustento, certo?
[Chris]: Sim.
[Howard]: Sim, claro.
[Robin]: Tem algumas pessoas fazendo um sustento com o violino.
[Chris]: Você ainda toca clarinete?
[Howard]: Não, eu toco um pouco de guitarra e um pouco de piano. Mal. Vá em frente! Então você está sentado no estúdio…
[Chris]: Você realmente quer que eu te conte isso? Não é bullying com você?
[Howard]: Não, isso é ótimo!
[Chris]: Então eu estava esperando para a passagem de som, e nós tínhamos uma canção chamada Shiver que está no nosso primeiro disco, certo? E eu estava fazendo isso e achei esse acorde, porque eu gosto de usar afinações esquisitas no violão, então eu gostei desse acorde e depois esse acorde e eu cantei meio Neil Young e foi isso…
[Howard]: Vamos lá! Toca um pouco! Você é tão talentoso, o que está fazendo? É você que está com a guitarra!
[Chris]: Ok.
[Howard]: Não enrola, vamos fazer isso!
[Chris]: Na minha voz, ou na minha voz ruim de Neil Young?
[Howard]: Faça na sua voz.
[Chris]: Isso é ainda pior, mas…

[Howard]: Esses acordes vieram pra você e você pensou: “esses acordes estão bem, eu não estou brincando aqui, essa pode ser uma música”.
[Chris]: Sim, eu fiz essa parte. Eu vou te mostrar. Daí eu fui onde o Jonny e o Guy estavam, nosso guitarrista e baixista e eles estavam jogando videogame e disseram: “É, está ok”.
[Howard]: Sim, eles valem 20%.
[Chris]: Não, mas eu não tinha terminado tudo. [Canta e toca Yellow em aproximadamente 14:07]. E eu não sabia o que isso significava.
[Howard]: Isso é tão bom. Não pare! O que você quer dizer com “eu não sabia o que isso significava”?
[Chris]: Porque a palavra “Yellow” apareceu e eu pensei: “ninguém vai saber o que isso significa”.
[Howard]: Mas você está dizendo que as estrelas são amarelas e azuis.
[Chris]: Eu não mencionei o azul, mas eu posso se você quiser. Mas as estrelas não são amarelas, esse é o problema.
[Howard]: São amarelas sim!
[Chris]: São amarelas em cartões de natal e…
[Howard]: Então você estava confuso pela sua própria letra. Isso estava saindo de você e você nem sabia o que significava. Não tinha significado?
[Chris]: Eu pensei: “Eu vou falar disso no Howard Stern em 12 anos. É melhor eu entender”.
[Howard]: Então você está me dizendo que não significa nada?
[Chris]: É um sentimento, mais do que um significado.
[Howard]: Certo, porque me emociona quando você canta.

A parte 3 será publicada na sexat-feira, 23 de março. No dia anterior, ela será publicada no fórum.

error: Content is protected !!