Chris Martin no Howard Stern – parte 1/6

19 março, 2012

A equipe do Viva Coldplay traduziu uma extensa e interessante entrevista que o polêmico apresentador Howard Stern conduziu com Chris Martin em seu programa de rádio. Howard conseguiu que Chris falasse de assuntos profissionais e pessoais que costumam incomodar o vocalista do Coldplay. A primeira parte você confere clicando em leia mais.

Parte 1

(Clique aqui para assistir a entrevista – a opção de incorporar o vídeo está disabilitada.)

[Funcionário]: O Chris possui um piano vertical com o qual ele tem viajado por anos. Olha as teclas desse piano!
[Howard]: Uau, é tão legal!
[Funcionário]: É um piano elétrico, é eletrônico.
[Funcionário]: Mas é tipo, é o piano dele, ele gosta, eu não preciso de comprovação. Mas eu acho que é bem legal.
[Howard]: É muito legal. Eu gostei do visual do piano. Merda, eu gostaria de poder fotografar isso, é muito legal. Eu adorei.
[Funcionário]: (…) Você pode fazer o que você quiser!
[Howard]: Eu adorei!

[Howard]: Bom dia, todo mundo! Vamos lá, nós temos um grande dia para todos. Hoje é quarta-feira e nós temos, entre outras coisas, Chris Martin do Coldplay no programa e eu estou olhando para o piano dele que está ali, e é um piano bem legal. Eu disse para o Chris: “Você quer um Steinway?”, algo semelhante com o que fizemos com o Billy Joe…
[Robin]: Ou a Lady Gaga.
[Howard]: Ou a Lady Gaga, e foi muito divertido. Ele disse “não, vou trazer o piano que eu uso, é o meu piano que viaja comigo” e é o exato oposto de um Steinway, na verdade…
[Robin]: É um piano vertical!
[Howard]: É um pequeno piano vertical e… Como você descreveria o acabamento dele?
[Robin]: Bem, parece com grafite!
[Howard]: Tem grafite nele todo, pintado com spray, e possui um visual muito legal. É o pequeno piano mais legal que eu já vi, eu gostaria de saber tocar piano. Porém, esse é o piano dele, é o que ele gosta de tocar e, na verdade, é um piano elétrico, Robin. Eu não sei se você sabia disso.
[Robin]: Eu não sabia disso, eu ainda não dei uma olhada completa nele.
[Howard]: Eu dei uma olhada completa e mesmo assim eu não sabia que era elétrico. Se alguém achar que não é um piano elétrico, essa pessoa estará errada.
[Howard]: Minha esposa estava muito animada, ela é uma grande fã do Coldplay e ela tem uma paixão platônica pela Gwyneth Paltrow.
[Robin]: Eu ia dizer isso, estava pensando nisso esta manhã, ela é uma grande fã da Gwyneth Paltrow!
[Howard]: Eu tenho certeza que minha esposa daria em cima… Tipo, minha esposa não tem nenhuma atração por mulheres, eu sei disso, a não ser que ela acorde de um derrame e de repente ela tenha essa atração…
[Robin]: Hahaha, a não ser que ela tenha um derrame!
[Howard]: Mas eu sinto que ela faria daria em cima da Gwyneth Paltrow…
[Robin]: Eu acho que não, eu acho que ela apenas gostaria de ser a melhor amiga dela…
[Howard]: Isso também, e ela admite. Desde que eu a conheço ela tem essa obsessão…
[Robin]: Eu sei, ela está sempre conferindo os sites, é Gwyneth Paltrow sempre.
[Howard]: Toda foto é tipo “ela está linda!”… Você tem essa sensação também?
[Robin]: Não, eu não gosto da Gwyneth Paltrow… eu não deveria dizer isso!
[Howard]: Ele não liga, não é um ataque pessoal a ele!
[Robin]: Eu não a conheço pessoalmente, eu apenas não a acho interessante nos filmes…
[Howard]: Minha esposa cortaria os seus peitos!
[Robin]: Eu nunca assisti Shakespeare Apaixonado, não consigo!
[Howard]: Vai dizer que você não gostou de O Amor é Cego?
[Robin]: Ela estava usando uma fantasia e Jack Black estava lá!
[Howard]: Eu adorei! Enfim, minha esposa a adora e ama o Coldplay. Até saiu para comprar o novo álbum. Ela curte tudo isso. Então… O Chris Martin está vindo, nós temos o piano dele aqui. E nós vamos falar… Você sabe, vamos bater papo furado e tocar algumas coisas…
[Robin]: E ele é britânico, não é?
[Howard]: Claro! Ele é britânico… Do que você ta falando por aí?
[Robin]: Como ele conseguiu a queridinha da América?
[Howard]: É… Ele até diz que, eu já li entrevistas do Chris aqui e ali, e ele diz: “Deus, quando eu estava crescendo eu era tão nerd que a ideia de que a Gwyneth Paltrow pudesse olhar pra mim e, quanto menos casar comigo, é tipo… Alguém me belisca, isso é loucura!”, o que eu acho revigorante.

[Ronnie – O Motorista da Limusine]: Certo, vamos trazer o Chris Martin do Coldplay. Ele tem que cantar! Vamos fazer isso!
[Câmera]: É isso aí, cara! Vamos fazer isso de verdade!
[Ronnie]: Bom dia Chris, eu sou o Ronnie.
[Câmera]: Bom dia Chris.
[Chris]: Bom dia, olá! Como vai?
[Câmera]: Bem, e você?
[Chris]: Estou nervoso!
[Câmera]: Sério? É sua estreia hoje!
[Chris]: Eu sei, minha primeira e ultima aparição!
[Câmera]: Você acha que essa é a única vez e pronto?
[Chris]: Eu acho que isso é uma vez na vida.
[Chris]: Por aonde eu vou, por aqui? Deixe-me só dizer ‘olá’ para os meus amigos. Essas são as pessoas que fazem tudo acontecer.
[Câmera]: Então Chris, porque você está nervoso?
[Chris]: Acho que é porque vou ser entrevistado por alguém muito mais bonito que eu. Isso me deixa aterrorizado. Eu tenho que ir por aqui.
[Câmera]: Ok, boa sorte hoje Chris!
[Chris]: Muito obrigado!
[Chris]: Olá Howard, como vai você?
[Howard]: Como vai você? Bom te ver! Obrigado por ter vindo!
[Chris]: Obrigado por me receber! Prazer te conhecer.
[Howard]: Pode ir se arrumando, daqui a pouco começaremos.
[Funcionário]: Olá, eu sou o Scott, prazer!
[Chris]: Olá Scott, como vai?
[Funcionário]: Então, o programa… Você escutou o programa lá também, se você quiser acabar com tudo é só  (…)
[Chris]: Eu consigo ouvir o Howard por aqui também?
[Funcionário]: Sim, está desligado agora. Você quer fazer uma passagem de som? Quer tocar alguma coisa e cantar?
[Chris]: Está tudo bem pra mim.
[Funcionário]: Haahaha… Que fácil!
[Chris]: A essa hora da manhã é complicado…
[Funcionário]: Sei bem!
[Funcionário]: Tudo bem?
[Chris]: Sim, obrigado!

[Howard]: Eu estou muito honrado, é claro que todos sabem que Chris Martin é o vocalista e compositor do Coldplay e ele está aqui conosco agora!
[Robin]: Ele está bem aqui!
[Chris]: Oi gente! Como estão?
[Howard]: A Robin quer muito você!
[Robin]: Lá vamos nós!
[Chris]: Eu senti isso lá no corredor…
[Robin]: Nós tivemos um momento!
[Howard]: É difícil pra você estar de pé tão cedo?
[Chris]: Não senhor!

[Howard]: A maioria dos músicos são pessoas noturnas, vocês meio que têm que ser! Vocês fazem seus shows a noite, a maior parte das suas carreiras acontece à noite. Então quando eu soube que você vinha ao programa, eu disse ‘oh, ele vai estar exausto, ele vai nos falar?
[Robin]: A maioria dos rockstars reclamam!
[Chris]: Bem, eu apenas encaro isso como uma hora muito tarde da noite.
[Howard]: Sabe o que é curioso sobre você? Você é um homem muito bonito, um homem alto.
[Chris]: Obrigado, você também!
[Howard]: É sério, você é. Eu conheço pessoas bonitas porque eu as invejo. Eu olho pra elas e me pergunto “por que eu não posso ter essa aparência?”.
[Chris]: Eu acho que você está sendo injusto consigo mesmo!
[Howard]: Mas antes de você se tornar um rockstar, você não se descrevia como um ladies’ man (NT: um conquistador), pelo contrário…
[Chris]: Certo, um man’s man!
[Howard]: Um man’s man! Mas eu acho que a maioria das pessoas ficaria surpresa com isso, você não acha?
[Chris]: Eu não sei, não posso comentar!
[Howard]: E você parece ter sua cabeça no lugar no sentido de que você nunca teve a fase de pegar muitas mulheres. A minha teoria é: conquistadores na verdade odeiam mulheres!
[Chris]: Eu tentei! Mas eu era muito jovem e ninguém estava interessada. Eu era um péssimo conquistador quando eu tinha 15 anos e nenhuma mulher se interessava.
[Howard]: Você não acha que conquistadores essencialmente odeiam mulheres? Você não acredita nisso?
[Chris]: Eu ainda não sentei e pensei sobre isso em um nível tão profundo.
[Howard]: Você é um cara profundo, você escreve músicas, eu iria pensar que você é um cara profundo!
[Chris]: Eu ainda não pensei nisso. Eu vou sentar e pensar nos conquistadores famosos e escrever uma música sobre isso.
[Howard]: Você gosta de ser um rockstar?
[Chris]: Sim senhor, é meu sonho que se tornou realidade!
[Howard]: É um sonho de fato! E com quantos anos você soube que precisava ser um rockstar?
[Chris]: 11!
[Howard]: Você sonhava em ser um compositor? Um grande compositor? Esse era o sonho com 11 anos?
[Robin]: Então com 11 anos o que você estava fazendo? Você já estava tocando piano ou…?
[Howard]: Você nem tinha pentelhos!
[Chris]: Nada, eu só estava cantando muito agudo e ninguém estava ouvindo.
[Howard]: Você admite que não tinha nenhum pentelho!
[Chris]: Eu admito que isso aconteceu até os 18 anos!
[Howard]: Verdade?
[Chris]: Sim senhor! Não, eu estou exagerando para o rádio, mas não foi muito longe disso.
[Howard]: A puberdade veio tarde pra você?
[Chris]: Veio no fim do dia. Pareceu tarde demais na época.
[Howard]: Você sentava e pensava ‘por que todos os meninos tinham pentelhos e você não’?
[Chris]: Eu acho que bloqueei essas coisas da minha mente!
[Howard]: Você já escreveu uma música desejando pentelhos?
[Chris]: Tirando a música “Como Eu Desejo Pentelhos” eu não consigo pensar em nenhuma outra.
[Howard]: Mas sério, você tinha 11 anos e você…
[Robin]: O que você via? O que inspirava você a ter esse sonho?
[Chris]: Eu acho que ver o Michael Jackson e as mesmas coisas que as crianças pensam hoje quando vêem a Beyoncé, ou Lady Gaga e pensam “uau”!
[Howard]: Que vida ótima! E seus pais te pegaram pelo braço e falaram: “escuta, palhaço, eu não sei quem você pensa que você é”…
[Chris]: Meu pai me deu uma surra!
[Howard]: O seu pai era violento com você?
[Chris]: Não, eu estou brincando. Ele me apoiou na verdade. Ele foi obrigado a ficar na Inglaterra rural e fazer o antigo trabalho do pai dele. Então a atitude dele foi meio ‘você deveria sair daqui e fazer o que quiser fazer’. Então isso foi ótimo!
[Howard]: Ele não disse nada pra você do tipo ‘quem você pensar que você é pra ser um cantor ou compositor, isso é irresponsável, nós queremos que você vá pra faculdade, nós queremos que você desista dessa ideia’…
[Chris]: Não, meu pai disse provavelmente “é pouco provável que isso aconteça, mas você deveria tentar”.
[Howard]: Sério? Surpreendentemente incentivador!
[Chris]: Sim, ele disse ‘não largue a faculdade’ mas ele nunca me proibiu de seguir meu sonho.
[Howard]: Ele te pagou aulas de piano?
[Chris]: Não, mas nós tínhamos um piano e… Então, sim e não é a resposta.

[Howard]: Você é um gênio no sentido de que é autodidata no piano e não precisou de ninguém pra te ensinar? Você não é um gênio?
[Chris]: Não, bem o contrário!
[Howard]: Você não se considera um gênio? Você vendeu milhões de álbuns, você escreveu grandes sucessos, mas você não é um gênio musical?
[Chris]: Eu tive um momento que eu pensava que nós éramos bons porque nós éramos populares, mas daí alguém me disse que os nazistas foram populares por um tempo. Então minha autoestima foi pra baixo de novo.

[Howard]: Ser um rockstar bem-sucedido é trabalho duro?
[Chris]: Não.
[Howard]: Isso de certo modo é uma mentira, você está sendo humilde.
[Chris]: Eu não estou sendo humilde, você tem que por em perspectiva.
[Howard]: E quanto aos anos de tocar em clubes, de aperfeiçoar a arte, a indústria, de aprender a tocar em frente a uma platéia ao vivo e animá-la. Não existe um processo…
[Robin]: Uma habilidade envolvida?
[Chris]: Você já gravou discos, você sabe como é!
[Howard]: Eu já fiz discos, todos ruins!
[Chris]: Todos o quê? O que você disse?
[Howard]: Todos ruins! Mas sério, é uma estrada difícil, você nunca sabe se você vai conseguir, você nunca sabe se suas músicas vão ressoar com muitas pessoas, certo?
[Chris]: Sim, é verdade!

[Howard]: Então você tem que ser meio louco pra escolher essa carreira. Você não tinha um plano b, você foi pra faculdade?
[Chris]: Sim, fui.
[Howard]: Ah, é? E o que você estudou?
[Chris]: História Antiga.
[Howard]: E qual era a ideia? ‘Eu vou ser um professor de história’?
[Robin]: O que você ia fazer com esse diploma?
[Howard]: Isso é pior do que ser um rockstar!
[Chris]: Você pode ser interessante no McDonald’s enquanto entrega o hambúrguer ao cliente.
[Howard]: Então você foi pra faculdade, você passou por isso…
[Chris]: Nós estávamos em uma banda na faculdade. Nós estávamos em Londres, e a desculpa para estar lá era a faculdade, mas na verdade nós ficávamos fazendo música o dia todo.
[Howard]: Você está sendo humilde quando diz que não tinha mesmo nenhuma mulher? Porque quando um cara está em uma banda, mesmo que não seja super famosa ou bem-sucedida, mesmo na faculdade, as mulheres não curtem isso?
[Robin]: É, você geralmente consegue groupies se você consegue tocar e cantar!
[Chris]: Eu acho que a resposta honesta é que depende de confiança. E sendo britânico e não sendo famoso ainda, isso não te dá muita confiança.
[Howard]: E você não tinha muita confiança?
[Chris]: Na Inglaterra nós somos criados pra não ter muita confiança, eu não sei porque, mas é assim que acontece.

[Howard]: Quantos anos você tinha quando escreveu sua primeira música?
[Chris]: 11.
[Howard]: E que música era essa?
[Chris]: Se chamava Bohemian Rhapsody. Até que foi escrita por outra pessoa, então eu tive que voltar a sonhar. Não, era uma música terrível sobre eu não lembro o quê!
[Howard]: Você não se lembra da sua primeira música?
[Chris]: Era sobre as pessoas estarem mais preocupadas com os seios da princesa Sarah Ferguson do que o que estava acontecendo no mundo. Uma canção atraente pra mídia!
[Howard]: Verdade? Com 11 anos você inventou o conceito de que o povo da Inglaterra estava mais preocupado com uma coisa estúpida como os seios dessa mulher do que alguma coisa importante acontecendo.
[Chris]: Sim, eu era socialmente motivado na época!
[Howard]: Você lembra como tocar ou cantar essa música?
[Chris]: Era algo como… Algo assim.
[Howard]: Essa é a música? Muito bom! Soa como um hit pra mim! Dê-me os direitos dessa música!
[Chris]: Ok!
[Robin]: Como é a letra? Ele vai cantar!
[Howard]: Alguma coisa sobre seios, certo?
[Chris]: Eles definitivamente apareceram.
[Howard]: Quando a palavra “seio” aparece na música?
[Chris]: Provavelmente umas 18 vezes no refrão.
[Howard]: Verdade?
[Chris]: Não.
[Howard]: Você manteve as coisas civilizadas então, certo?
[Chris]: Eu mantive civilizado, de onde eu sou você não pode xingar ou falar palavrão.

[Howard]: É difícil pra você escrever letra para uma música?
[Chris]: É difícil escrever boas letras.
[Howard]: A música vem fácil pra você?
[Chris]: Tudo vem fácil, só não necessariamente de alta qualidade. Você tem que filtrar o bom do ruim.
[Howard]: Normalmente você tem músicas na sua cabeça o tempo todo, certo? Quando eu entrevistei o Joe Walsh, ele disse que constantemente tinha uma estação de rádio tocando na cabeça dele, isso soa familiar a você? Algo que acontece na sua vida?
[Chris]: Sim, é verdade.
[Howard]: Você acordou hoje de manhã e ouviu uma música na sua cabeça?
[Chris]: De fato, ouvi sim.
[Howard]: O que você ouviu? Você poderia tocar pra mim?
[Chris]: Eu não tirei da cabeça e coloquei nos dedos.
[Howard]: Verdade?
[Chris]: Leva um tempo pra levar do topo para as pontas, se você entende o que eu quero dizer.
[Howard]: Cantarole o que está na sua cabeça no momento.
[Chris]: (cantarola uma espécie de música indiana)
[Howard]: É isso de verdade o que está na sua cabeça agora? Porque é uma música horrível! Se eu fosse o seu pai eu diria ‘se é isso que está na sua cabeça’…
[Chris]: ‘Você vai voltar pra faculdade’.
[Howard]: É isso!
[Chris]: Então, eu acho que em relação a compor você tem uma torneira que está sempre virada, e você continua recebendo informação enquanto está sendo enviada pra você e você tem que escolher o que é bom.
[Howard]: Você já esteve em uma situação em que tem uma música na sua cabeça e você pensou ‘meu deus, isso é ótimo!’ E você não tinha nada pra gravar ou registrar e você perde a ideia e você pensa “eu sei que era uma canção ótima e se apenas eu”…  Isso já aconteceu com você? É uma tortura na sua vida?
[Chris]: Sim, mas eu penso que não podia ser tão ótima assim se eu não lembro.
[Howard]: Então você deixa pra lá e pensa, “quer saber, as ótimas eu vou lembrar”?
[Chris]: Sim, eu li uma entrevista do John Lennon uma vez e ele estava falando disso. Eles não tinham iPhones e ‘voice memos’ na época e ele disse: “se você tem uma ótima canção, você vai lembrar.”
[Howard]: E qual o processo? Vamos dizer que você está no banheiro e você ouve uma ótima canção na sua cabeça. Você corre do banho e…
[Chris]: Eu levo o piano ao chuveiro.
[Howard]: Não, sério… O que você faz!
[Chris]: Bem, normalmente isso acontece à noite…

A parte 2/6 dessa entrevista será publicada na quarta-feira, 21 de março.

error: Content is protected !!