TV: Chris canta “Yellow” com sotaque Cockney

28 outubro, 2016

Ontem (27), o perfil oficial do Coldplay divulgou uma foto de Chris Martin ensaiando performance que seria apresentada no programa estadunidense “Conan Show”.

Imagem via @Coldplay

Imagem Via @Coldplay

Pouco tempo depois, a participação do vocalista do Coldplay foi ao ar sem a presença dos companheiros de banda.

Representando os amigos muito bem, Chris fez todo mundo gargalhar ao cantar o hit atemporal “Yellow” com sotaque ‘cockney’*:



* Pessoas que nasceram em uma região específica de Londres conversam empregando o sotaque ‘cockney’.

Imagem via Team Coco

Imagem via Team Coco

O vocalista comentou que já tinha um tempo que ele não cantava empregando o tal sotaque, mas afirmou que está sempre disposto a cantar (independente da maneira).

Quando Conan O’ Brien comentou sobre o “A Head Full Of Dreams”, para promover o disco, Chris brincou e disse que ele não precisava divulgar o álbum, pois os dois deveriam lançar seu próprio disco com o título: ‘Conan e Chris: Clássicos Cockney’.

Team Coco

Imagem via Team Coco

Além de apresentar a versão inusitada de “Yellow”, Chris também apresentou uma versão acústica e inédita de um dos hits mais recentes da banda: “Hymn For The Weekend”:



Essa versão voz e violão ficou linda demais, né? Nós amamos e ficamos tipo o apresentador Conan O’ Brien, ou seja, reverenciando o Chris!

Imagem via Team Coco

Via Team Coco

“Me f*de”, gritou uma fã

Martin comentou que sempre tenta ser educado e gentil com todos. Ilustrando um pouco de sua relação com os fãs, ele contou uma história que aconteceu recentemente: “uma garota perguntou, de uma forma muito cordial, se eu estaria interessado em ter uma relação sexual com ela um dia. É que temos um momento na nossa tour atual em que falamos sobre gentileza e cuidados que seriam positivos para se ter uns com os outros. A resposta da fã sobre isso foi: ‘me fode’. Foi adorável. O episódio aconteceu quando eu iria começar a cantar a música ‘Everglow’. Todos na plateia estavam em silêncio, por isso a voz da garota se destacou e todos ouviram. Eu sentia que todos imaginavam que eu tinha escutado, então depois disso eu não consegui me concentrar na canção. Eu não conseguia tirar o ‘me fode’ da cabeça. Então parei a canção e respondi” (Chris disse que antes teria que levá-la pra jantar). Martin ainda completou: “Eu sou muito grato por todos que nos prestigiam em nossos shows, então se você for a um deles você pode gritar o que quiser”:


Coisas estranhas?

Chris contou que é natural de Devon. Contudo, apesar da beleza do local, ele comentou que Devon se tornou famosa por motivos estranhos. Ele cita uma fera que tem relação com a lua e até a passagem de Michael Jackson por sua terra natal. Conan comenta que agora as pessoas podem dizer que Chris Martin é da cidade e que isso é mais legal do que citar qualquer cachorro misterioso ou qualquer outra referência estranha sobre a cidade:


Halloween

Conan disse que não sabe como as pessoas lidam com a festa no Reino Unido, mas que nos Estados Unidos tudo é muito comercial, gira ao redor de doces e que seus filhos amam o feriado. O apresentador perguntou para o músico como foi crescer vivendo o Halloween no Reino Unido e Chris disse que lá o dia das bruxas representa, basicamente, uma coisa ruim/má. Ele deixa a plateia rindo ao tentar explicar que no Reino Unido o Halloween tem uma relação de algo que te faz ir pro inferno e que quando ele chegou nos EUA pensou “hum, talvez isso tenha uma relação diferente aqui”:



Mostrando entrosamento com o apresentador Conan O’ Brien, Chris ainda falou sobre a infância: “Eu era um imbecil. Meu melhor amigo Phil (Harvey) está nos bastidores e ele pode falar de mim melhor do que eu mesmo. Eu tentava dar o máximo de mim. Me apaixonei por música e tentei praticar esportes”.

Chris & musicais

Martin ainda falou sobre a sua experiência frustrada de querer participar de musicais: “Por um tempo quis fazer musicais e cheguei a conquistar um certo lugar. O musical era ‘My Fair Lady’. Consegui o papel e, contrariando o que eu esperava, eles me disseram que não precisaria cantar. Daí pediram que eu fizesse o pai de Eliza. O personagem era um limpa-chaminés e acho que o nome dele era Alfred. Não teve jeito… topei fazer”.

Mesmo com a ausência de Guy, Jonny e Will, nós curtimos bastante o programa. E vocês?

Fonte: TBS, Team Coco, Rolling Stone e Portal Rock Line

Vitor Babilônia

Vitor Babilônia é Editor-Chefe do Viva Coldplay e Roteirista. Sua formação passa por instituições como Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e Vancouver Film School. Ele é fã da banda desde 2004.

error: Content is protected !!