Entrevista com Nikki Rosetti, produtora dos EPs “Safety” e “Blue Room”

17 janeiro, 2011

O fansite francês ColdplayFrance.com fez uma entrevista com Nikki Rosetti, uma das primeiras produtoras da banda, que estava no início de sua carreira.

Olá, Nikki, e feliz ano novo. Obrigada por estar nos dando essa entrevista, é uma honra para nós entrevistar alguém que teve uma grande participação no começo do Coldplay.
Obrigada e tenha um feliz ano novo também.

Você poderia se introduzir para que os fãs possam saber quem você é?
Ok, bom… eu sou música, produtora e artista, embora bem afastada do mundo da música agora. Até uns anos atrás eu estive trabalhando com o meu parceiro Ron Niblett no Sync City Studio em Londres. Você pode ver o que eu estou fazendo no meu site,  www.nikkirosetti.co.uk.

Primeiramente, como e quando  você descobriu o Coldplay?
Coldplay foi tão recomendado pra gente como a maioria de nossos clientes foram. Todos estavam falando deles e nosso estúdio tinha uma boa reputação por produzir consistentemente bons trabalhos.

Quando foi que você começou a pensar “Coldplay é uma banda com quem eu deveria trabalhar”?
Quando a banda veio pela primeira vez eu estava um pouco intrigada pelo som dela, mas foi só quando Chris adicionou o vocal que o som se transformou numa coisa tão completa e única como era.

Como foi seu primeiro encontro com eles?
Nosso primeiro encontro foi apenas aquelas formalidades em preparar as gravações e discutir sobre termos gerais. Foi quando que a gravação começou que eu realmente ouvi do que a banda se tratava.

Quais foram suas primeiras impressões sobre eles?
Eu acho que eles eram tão incomuns que eles já envolveram uma estrutura que funcionou muito bem com as músicas iniciais. O som da guitarra do Jonny era desenvolvido assim como o vocal do Chris e o estilo das letras eram. Eu presumi que eles eram bem mais formados que a maioria das bandas e tive uma ideia evidente do som e da sensação que eles queriam alcançar. Eles também entendiam a música e a estrutura das canções. eles eram muito maturos musicalmente.

Como era o clima no estúdio? Era difícil de gravar? O estúdio era preparado em relação aos equipamentos?
Não, o clima era bem relaxado e amigável e provavelmente era uma das sessões mais fáceis em que já trabalhei. Nós passávamos um bom tempo configurando os efeitos nos sons da guitarra do Jonny que eu gravava.
Em relação aos equipamentos, eu acreditava (e continuo acreditando) que não importa ter equipamentos muito bons, mas sim como você os usa.
Eu sei que a banda estava muito satisfeita com as gravações e o som não estava adequado aos equipamentos que a gente tinha e com familiaridade que a gente tinha com eles.
Eu acho que tem que conhecer bem o seu equipamento e eu e aquela mesa nos tornamos íntimas ao longo dos anos.

Qual é a melhor música que você produziu para eles, na sua opinião?
“Such a Rush”. Tinha tanta paixão e movimento, embora eu ache que o remix subsequente que eu fiz faz mais jus que a versão do ‘Safety’.

Você tem mais afinidades com alguém da banda? Se sim, por quê?
Eu definitivamente passei mais tempo com o Chris, trabalhando nos vocais. Chris era perfeccionista e sabia o que queria. Nós passamos horas em tomadas múltiplas.

Nós sabemos que você não foi a única a produzir esses EPs, Ken Nelson e Chris Alison fizeram parte disso também. Como era a relação entre vocês três?
O EP ‘Safety’ foi produzido inteiramente no Sync City pela banda e por mim mesma. Faixas para o ‘Blue Room’ foram gravadas no Sync City onde eu estava produzindo com a banda e em outro lugar pelos outros produtores e nós unimos o trabalho com a companhia da gravadora. Eu nunca conheci os outros dois. ‘No More Keeping My Feet On The Ground”, que apareceu no b-side de ‘Yellow’, vieram das sessões do ‘Safety’.

Você já trabalhou com Keane também quando eles começaram. Você acha que Keane e Coldplay são similares?
Keane veio ao estúdio como uma banda revelação da RCA. Naquela época eles ainda tinham seu guitarrista e ele deu um som bem “Coldplay”. Eu acho que não é mais o caso, eles possuem um próprio som bem distintivo.
Keane é uma banda que era imediatamente reconhecida por seu vocalista, ainda bem diferente.

Como você se sente quando te associamos ao começo da história do Coldplay?
Acho que é legal, mas talvez seja algo meio exagerado. Quando você pega uma banda com uma habilidade tão natural como músicos e escritores, seria bem difícil isso ter um resultado ruim.

Você tem algum arrependimento em relação às produções desses EPs?
Eu não consigo pensar em nenhum arrependimento. Sinto que a banda perdeu a mágica e o entusiasmo que eles tinham nos antigos tempos. Eles são mais comercializados agora, mas esse é um resultado inevitável quando se entra no mundo da música. Esses são os “negócios” no negócio da música.
Eu temo que escrever e lançar uma música natalina te coloca firmemente no campo do “pop”.

Você ainda tem uma cópia da fita demo?
Eu tenho cópias do EP “Safety” e de remixes que eu fiz de todas as músicas das sessões do Safety. Juntamente com as músicas da sessão subsequente que houve seis meses antes.

Nós sabemos do sucesso que Safety e Blue Room tiveram. Por que você não produziu Parachutes também?
Você precisaria perguntar à banda ou à Phil Harvey sobre isso. Acho que quando a banda assina um negócio, a gravadora escolhe os produtores e o estúdio.
Dizendo isso, lembro que durante as gravações de ‘Parachutes’, Phil Harvey disse que estavam lutando para recriar o som e me perguntou se ainda tínhamos tempo disponível no estúdio. Bom… não escutamos mais nada depois disso. Isso só serve pra mostrar que, você pode ter o melhor estúdio e equipamento do mundo, mas se você não tem minha velha mesa do Allen e do Heath…

Como você decidiu quais músicas deveriam ou não estar nos EPs?
Essa foi inteiramente uma decisão da própria banda!

O que aconteceu com músicas como “Vitamins”, “So Sad” ou “If All Else”?
Esses músicas vivem na minha coleção e eu as escuto regularmente. Apesar que elas provavelmente nunca veriam a luz do dia.

Como você se sente quando você sabe que a banda pra quem você deu a primeira chance é conhecida como uma das melhores bandas de rock do mundo inteiro?
Não fico surpresa. Era óbvio pra qualquer um que os ouvisse que eles poderiam se tornar o que se tornaram. E eles parecem ser os mesmos caras, mas com cortes de cabelo bem mais bonitos que antes.

Você ainda tem contato com a banda?
Não.

Qual dos 4 último álbuns tem uma produção mais completa e perfeita, na sua opinião?
Temo que bandas baseadas em guitarra necessitam de uma audácia natural e autêntica. A tecnologia e a necessidade de produzir algo perfeito tendem em tirar a característica própria de cada banda.
Eu fiquei muito satisfeita e surpresa em ouvir que Brian Eno iria trabalhar com a banda. De início, eu não conseguia imaginar os dois juntos.
Eno e Talking Heads, por exemplo, foi uma jogada óbvia, mas Coldplay? Bom, acho que Brian Eno seria um dos meus heróis.

Uma pergunta clássica: qual música do Coldplay que você não produziu é a sua favorita?
Ela certamente viria de Parachutes e seria, ou Don’t Panic, ou Everything’s Not Lost, porque eu acho que elas me lembram mais do Coldplay que eu conheço.

Finalmente, você poderia dar uma palavra aos fãs do Coldplayfrance.com, em francês?
Bonjour la France! Je vous remercie de m’avoir invité à discuter avec vous et j’espère qu’il y aura quelque chose à vous intéressent ici.
Bonne année à vous tous.

(Olá, França! Obrigada por me convidar para falar com vocês e espero que haja algo interessante aqui.
Feliz Ano Novo para todos vocês.)

Fonte: fórum do Coldplaying.

error: Content is protected !!