Novo álbum do Coldplay será conceitual?

13 dezembro, 2010

Durante uma recente entrevista para a BBC, a banda afirmou que depois de quatro álbuns já lançados eles finalmente estão prestes a lançar o seu “álbum conceito”. Eles ainda falam um pouco sobre o processo de gravação e sobre a data de lançamento do álbum. Leia a entrevista completa clicando no leia-mais.

Agradecimentos:  Coldplaying.com

Levou mais de quatro álbuns e 10 anos, mas a banda confirmou que eles finalmente estão prestes a lançar o seu “álbum conceito”. O novo álbum ainda sem título, está sendo produzido por Brian Eno e Marcus Dravs – a mesma equipe por trás do último álbum da banda, Viva La Vida or Death and All His Friends. “É a partir do ponto de vista de duas pessoas que estão um pouco perdidas”, diz o vocalista Chris Martin.

[Um álbum conceitual conta uma história sobre algo ou alguém através de diferentes temas, podendo ter (ou não) faixas interligadas sendo que, cada uma contribua à outra com ou sem pausas entre as músicas.]

Viva La Vida foi visto pelos críticos como um retorno a velha forma, após uma resposta mais calma do álbum anterior – o igualmente bem sucedido comercialmente X&Y. Enquanto Viva La Vida explorava temas mais grandiosos, de amor e guerra, Martin disse que o novo álbum será mais intimista, por comparação. “É um álbum conceitual, mas supostamente é para ser algo mais pessoal dentro de um grande quadro. Faz sentido?”

Grande parte da experimentação musical de Viva La Vida veio do produtor Brian Eno, que começou sua carreira com o Roxy Music e já produziu artistas como David Bowie e Talking Head David Byrne. “Brian é o semeador de idéias e experiências, que é muito libertador. Então o trabalho de Marcus virá depois de tudo o que foi feito e tentaremos esculpi-lo em algum tipo de formato de lançamento”.

Experimentação

As sessões de gravação foram caóticas e deixou um monte de faixas formadas pela metade ou metade concluída, acrescenta. “Passamos um ano fazendo muito barulho. Sabe aquelas coisas em um parque de diversões onde você tem aquelas feiras e tem uma banheira e lá estão alguns prêmios escondidos? É mais ou menos assim onde estamos”, diz Martin.

“Como um mergulho de sorte?”, Esclarece o seu colega de banda, o guitarrista Jonny Buckland. “Sim, um mergulho de sorte”, Martin concorda.  Enquanto a música continua a ser um esforço de colaboração entre músicos e produtores, a composição delas fica muito acima de Martin.

O cantor admite que o baixista Guy Berryman e o baterista Will Champion podem ser brutais durante a avaliação de suas novas músicas. “Jonny é encantador, ele é o mais fácil de convencer,” ele sorri.  “É quando você tem que tomar um verso de Guy ou Will, é ai quando as coisas se tornam muito tristes. No entanto, deixando de lado as disputas internas sobre as composições musicais, Martin insiste que ele é grato por essa sinceridade.

“Eu tenho tanta sorte por temos esse grupo, na medida em que há um grande número de pessoas que não gostam de nós no mundo, mas haveria muito mais sem este sistema de filtragem.” “Pense no lixo que sai, se você não gostar das coisas que faz.”

Ainda este mês, o Coldplay fará dois shows com ingressos esgotados para uma instituição de caridade para os moradores de rua. “Crisis” no Reino Unido – uma causa muito apoiada pela banda. “Eu acho que vai ser bom para nós ter os pés em um show por alguns dias, porque às vezes você pode ficar muito institucionalizado dentro do estúdio”, diz Martin. “Existe um perigo quando você se esquece de que vai ter que jogar isso para as pessoas e é aí que a música pode se tornar um pouco estúpida”.

Caridade

Buckland concorda que os meses em que o quarteto passou dentro do estúdio tem feito as suas vítimas: “Você pode esquecer que existem outras pessoas no mundo, você acaba por se tornar tão focado no pequeno grupo que o rodeia”.

“É muito parecido com: eu sou uma celebridade, deixe me ficar aqui no nosso estúdio”, diz Martin. “Um monte de tarefas difíceis e as pessoas acham que é difícil de conviver, ou seja, comigo.” Martin e Buckland dizem que não têm uma data definida para lançamento do novo álbum, mas acrescentam  secamente que será “em algum momento no futuro”. Martin sugere que ele gostaria de evitar uma batalha em potencial com outra grande banda do Reino Unido.

“De preferência não na mesma semana que Take That” [provavelmente comentando sobre a turnê que a banda preparou para 2011]. “Hoje, se Gary diz que podemos tocar piano em um determinado dia, nós apenas vamos dizer: “Ok, vamos trabalhar na Alemanha naquele dia, não há sentido ficarmos aqui.”

@diegolsc

error: Content is protected !!