A respeito da originalidade de Strawberry Swing

27 setembro, 2009

Conforme reportamos, o Coldplay está novamente envolvido em mais uma acusação de plágio. Dessa vez, foi o clipe de Strawberry Swing, último single da banda, que está na jogada. Shynola, os diretores do vídeo, se manifestaram oficialmente à respeito da contenda. Confira em “leia mais” a resposta deles. 

 

Queridos amigos, 

Em primeiro lugar – com toda a sinceridade -, nós nunca assistimos ao clipe do Sr. Trevor. 

Como nós todos sabemos, quando uma gravadora deseja patrocinar um vídeo, um encarregado se incumbe de identificar um grupo favorável de diretores e envia a ele toda a música. Os diretores a escutam e, então, anotam as suas ideias.O encarregado escolhe a melhor ideia e a expõe à banda. Se ela também gostar, a gravadora dá algum dinheiro ao diretor para que ele possa por a ideia em prática. 

As bandas raramente têm algum envolvimento com o surgimento das ideias para seus clipes. Eles tampouco desenham as capas de seus CDs. Eles são músicos e não designers ou desenhistas.O vídeo de “Strawberry Swing” foi integralmente concebido pelo Shynola. 

Era esta a nossa pequena estória: super-herói salva donzela do perigo. Nada muito inovador – uma estória universal – Bela Adormecida, Flash Gordon, Orfeu e Eurídice, mesmo Donkey Kong.  

O mote reside nas sanções e na tensão acerca do salvamento em tempo ou não da donzela. 

Igualmente, a técnica top-down em filmes e animações em giz já foi empregada incontáveis vezes. Particularmente, fomos inspirados por um trecho de Sledgehammer, de Peter Gabriel [clique aqui para assistir ao vídeo referido]. Nossa proposta inicial, rejeitada, baseava-se em desenhos infantis feitos com giz de cera. Ao exigirem que empregássemos atores, combinamos nossa ideia com fotografias inspiradoras de Jan Von Holleben. 

 

Também gostamos e incluímos esta fotografia, de Abelardo Morell. 

 

O tratamento básico de nossa proposta foi: pessoa deitada, com planos de fundo animados, desenhados à giz. Queríamos utilizar estas ideias fotográficas e dá-las movimento para contar uma estória. Quanto às imagens acusatórias que o Sr. Gallagher enviou (faremos referência a elas numericamente): 

1) Voar através de nuvens. Acreditamos que Siegel e Shuster, criadores do Super Homem, têm os argumentos mais fortes para reclamar os direitos autorais disto. Pensamos que, se era para o nosso super-herói voar através de nuvens, nós deveríamos desenhar, err, nuvens. 

 

2) Rastejar pelo subterrâneo. Esta também não é uma ideia nova. Quando propusemos isto, estávamos pensando especificamente em um episódios d’Os Simpsons, em que a câmera viaja por baixa da terra para encontrar o deus indiano Vishnu controlando a Terra. 

 

 

 

3) Interrogação como um signo icônico para uma ideia. Isto é linguagempadrão nos quadrinhos, para um milhão e meio de quadrinhos, provavelmente registrada primeiro no Gato Félix. 

 
 
 

4) Falling shot. Na nossa opinião, essas duas coisas nem ao menos parecem idênticas. No entanto, em nome da honestidade, esta composição e a luta com o Esquilo foi baseada em uma imagem congelada muito legal do jogo do Super Homem. 

 

 

Se alguém afirmar que a imagem congelada de alguém que está voando sendo paralisado é um plágio, imagino que teremos de exumar Chuck Jonespara sabermos o que ele pensa a respeito disso. 

 

5) Tampa de lata lixo/Suporte de guarda-chuva. Novamente, nós gostamos do emprego surreal, da parte de Jan Von Holleben, de utensílios domésticos. Nós também utilizamos um remo e um telescópio. 

 

Para todos os efeitos, nossa principal fonte de inspiração para o vídeo foi Windsor McCay. Tanto em termos de design, quanto em termos de bizarrice e fantasia. Podemos ver claramente a influência, por meio dessas imagens:

Outras influências foram os testes de Miyazaki para Little Nemo, Ray Harryhausen, Star Wars, 2001 e inúmeros outros, tanto consciente, quanto inconscientemente.Uma vez que nunca assistimos ao vídeo do Sr. Trevor, podemos negar categoricamente a afirmação de que este vídeo teve qualquer influência sobre o nosso. Quaisquer semelhanças são puramente acidentais.

É fácil encontrar semelhanças entre dois trabalhos desse tipo.Enquanto estávamos escrevendo a nossa proposta e pensando em como poderíamos usar o giz, nossa fonte favorita do YouTube foi esta, de 2008:

Pensando bem, há semelhanças o suficiente com o próprio vídeo do Sr. Trevor.

Mão de verdade com mesa de som desenhada à giz:

Pé de verdade com pedal desenhado à giz:

Mãos de verdade tocando cordas desenhadas à giz:

Mão de verdade tocando um tambor denhado à giz:

Um equalisador denhado à giz:

Mesmo a parte em que ele apaga o giz:

Não estamos sugerindo que o clipe do Sr. Trevor é um plágio.Ao contrário, isso é para mostrar como é fácil apresentar uma argumentação convincente APENAS com imagens dispostas lado a lado.Não usamos guitarras, instrumentos, perfórmance, UFOs, paredes ou interiores.Igualmente, eles não usaram mar, donzela, esquilo, esqueletos, romance ou estória.

Talvez tenha sido uma hipérbole indefensável a afirmação do Coldplay de que nosso vídeo era inovador.Mas NÃO é um plágio.E o vídeo do Sr. Trevor também NÃO é inovador.

Esta citação de Chris (do Shynola) é de uma entrevista com Motionographer e resumo tudo:
http://motionographer.com/theater/shynola-coldplay-strawberry-swing/

Motionographer: Tecnicamente falando, isso já foi feito antes (“Chasing Pavements”, da Adele [clipe] e “Her Morning Elegance”, de Oren Larvie [clipe]), mas vocês conseguiram ir além e criar algo incrível. Vocês podem falar como é que conseguiram conquistar tal feito?


Chris: Temos consciência da existência desses vídeos e eu não quero denegri-los, mas havia muito mais coisa que poderia ter sido explorada. Não declaramos ser originais, apenas rigorosos. Assim, escrevemos uma estória, que achamos divertida, e nos propusemos a dar vida a ela. Foi bem trabalhoso.

Em resumo, um vídeo é patrocinado em nome da banda e o autor é o Diretor, não a banda.O clipe de “Strawberry Swing” para o Coldplay foi inteiramente concebido pelo Shynola.Criatividade envolve absorção e expulsão constantes de influências. No entanto, nós nunca copiamos.

Esperamos que isso clarifique as coisas,Kenny, Chris e Jason (Shynola) “se artistas começarem a acusar uns aos outros de plágio por causa de clipes, onde isso vai acabar? Bandas processando umas às outras por em função de efeitos especiais, como os pirotécnicos, iluminação e gelo seco?” – pollstar.com

@diegolsc

error: Content is protected !!