Entrevista com Mat Whitecross sobre o clipe de Paradise [Coldplay.com]

12 novembro, 2011

Entrevista muito interessante em que Mat Whitecross conversa com o Coldplay.com sobre os bastidores e concepção do clipe  de Paradise 

Olá, Mat, como vai?
Estou bem, obrigado, apesar de estar em meio ao processo de fazer as malas para me mudar, o que não é lá muito divertido.

Então, o clipe de Paradise: como você acabou sendo o diretor dele?
Eu acho que houve algumas tentativas anteriores de fazer um clipe, que, por algum motivo ou outro, acabaram não dando certo.

E você é o número de emergência para os clipes de última hora do Coldplay?
Eu acho que sim! O ligue já dos clipes! Eu recebi uma ligação do Chris um pouco depois da meia noite. Ele me perguntou ‘O que você está fazendo?’. Curiosamente, eu estava editando algumas gravações ao vivo dele para uma outra coisa, então, eu disse ‘Estou trabalhando para vocês’. Ele respondeu ‘Então, tem alguma chance de você pegar algum avião para a África do Sul amanhã de manhã?’. Curiosamente, eu tinha uma semana livre antes de começar o trabalho propriamente dito para o filme para o Spike Island que estou trabalhando.

Então você disse ‘sim’?
Eu perguntei por que para ele. Ele disse que eles meio que estavam com uma emergência de clipe e precisavam fazer um vídeo para Paradise dentro de um ou dois dias. Ele me perguntou se eu conseguiria ter alguma idéia para o clipe em um intervalo de algumas horas e depois informar a idéia para ele, embarcar em um avião para a África do Sul de manhã para gravar o vídeo. Eles tinham dois dias de folga e queriam fazer a gravação nesses dois dias.

Isso é insano.
Pois é! Mas todo clipe que eu já fiz foi de última hora, então acho que estou acostumado. Mas eles conseguiram se superar dessa vez. O clipe de Paradise já estava com duas semanas de atraso e ainda não sabíamos qual era a idéia. Eu sentei por algumas horas para tentar ter alguma idéia, o que foi difícil com toda a pressão! Eu pus algumas idéias no papel e mandei por e-mail para o Chris. No momento que cliquei em ‘enviar’, recebi o texto mais longo de toda a minha vida.

Do Chris?
Isso. O texto tinha mais ou menos 400 linhas e dizia ‘Não se preocupa, eu tive uma idéia. Eu vou me vestir de elefante em um monociclo. Você precisa trazer quatro fantasias de elefante e um monociclo com você’. Depois, ele comecou a dar os detalhes do enredo. Ele parecia que já tinha a história toda na cabeça. Sinceramente, eu não sabia se ele estava me zoando. Eu sabia que ele estava sofrendo os efeitos de mudança de fuso, então eu mandei uma mensagem perguntando se ele estava falando sério. Ele respondeu que estava falando muito sério.

E depois você teve que sair procurando um monociclo e quatro fantasias de elefante?
Exatamente. Todo o time do Coldplay estava ajudando – Vicki e EJ e Phil – a conseguir tudo e, é claro, conseguir passagens para a África do Sul. Eu entrei em contato com o Chris Ross, um grande amigo meu, que fez Sex & Drugs & Rock & Roll e perguntei se ele estava disponível para pegar um avião comigo dentro de quatro horas. Por sorte, ele tinha acabado de adiar uma gravação em Manchester, então conseguiu vir. No aeroporto, muita gente olhou estranho para a gente por causa das fantasias.

Afinal, onde vocês acabaram conseguindo as fantasias?
Bom, eu estava imaginando uma fantasia de elefante realmente sofisticada e realista. Eu trabalhei com esse cara, que faz efeitos especiais e próteses, então, eu liguei para ele e perguntei se ele poderia fazer cabeças de elefante que parecessem realistas e bonitas e tudo o mais. Ele respondeu ‘Claro. Vai levar provavelmente uns dois meses para fazer isso. Quanto tempo você tem? ‘Hum, umas três horas. Estou indo no aeroporto agora’.

O que você fez?
EJ encontrou uma fantasia na internete e mandou uma foto para o Chris. Eu falei ‘Pára com isso! Essa fantasia é completamente horrível!’. Mas o Chris tinha certeza que ela era perfeita. Foi aí que eu percebi que ele queria que o clipe tivesse uma aparência menos realista e o mais espontânea possível. Então, compramos as fantasias de um site. A gente conseguiu alugar a que o Guy estava usando – foi um pouco mais cara – e, apesar de a qualidade ser muito melhor, ela tem muito menos expressividade.

E foi o Chris mesmo que andou no monociclo, não foi?
Foi. Eu falei com ele sobre encontrar um monociclista local e ele disse que ele já tinha andado quando era criança e que ele ia fazer isso no clipe. Ele não andava há 20 anos, mas parece que ele pensou que ia ser como voltar a andar de bicicleta. Fomos de carro até o meio da savana e ele subiu no monociclo. Eu estava pronto para ver ele caindo de bunda e esse ia ser o final do vídeo! Mas ele foi incrível! O restante da equipe estava em um outro lugar, então eu e o Chris começamos as filmagens.

Muitas pessoas acharam que não era o Chris o tempo todo.
Ah, foi sim, com certeza. Havia algo de perverso em cobrir um dos rostos mais conhecidos da música com uma cabeça de elefante. Eu ficava pedindo para ele tirar a cabeça às vezes para deixar claro que era ele, mas ele estava muito relutante quanto a isso. Ele disse que a idéia era justamente as pessoas não verem que era ele. Eu disse que algumas pessoas iam simplesmente assumir que ele estava ocupado demais para gravar um clipe. No fim das contas, eu e o Phil conseguimos fazer ele tirar em uma cena, que é a que está no clipe.

Mas em todas as outras vezes no clipe, é ele?
Sim. Ele insistiu que fosse ele. Eu ficava falando para ele que ninguém nunca ia saber que não era, mas ele só dizia ‘Eu vou saber!’. Ou seja, sim, foi ele que fez a coisa toda. Mesmo as partes que a gente fez no metrô de Londres era ele.

Como as pessoas reagiram a isso?
Bom, do jeito tradicional. As pessoas de Londres são descoladas demais para mostrar alguma reação, então, basicamente, eles se recusaram a reconhecer que estavam sentadas perto de um elefante no metrô ou que tinha uma câmera filmando na direção deles. Em um certo momento, ele estava sentado perto de uma freira. Ela não olhou nem um única vez sequer, mas, quando ela levantou para sair, ela passou e disse ‘Eu espero sinceramente não ter arruinado o vídeo de vocês’.

Os planos sempre foram graver na África do Sul e em Londres?
Sim. A idéia do Chris sempre foi um elefante que foge do zoológico e vai encontrar seus companheiros.

Em que zoológico vocês filmaram?
Curiosamente, encontramos um lugar chamado Paradise Wildlife Park, que fica a pouco tempo de Londres e foi lá que filmamos.

Você está contente com o clipe?
Muito. E a reação do público tem sido fantástica. Foi muito bom fazer alguma coisa tão rápido e com tão pouco planejamento. Foi como estar de volta na faculdade. Estudamos na mesma universidade e, nessa época, quando eles gravavam uma faixa, eu e o Chris literalmente saíamos naquela mesma noite a gravávamos, por exemplo, ele em um carrinho de supermercado e, no dia seguinte, a gente editava o vídeo. Nessa época, as idéias surgiam no mesmo momento da gravação. Com os clipes de verdade de hoje em dia, tudo é planejado com muita antecedência, então foi legal voltar fazer as coisas só no momento em que elas estavam realmente acontecendo.

E o restante da banda estava envolvido também?
Com certeza. Eu tiro o chapéu para eles. Eles tinham um dia de folga na África do Sul e nós dirigimos por três horas no meio do nada, chegamos no lugar que tínhamos escolhido no dia anterior, só para nos dizerem que não podíamos filmar ali. Então, voltamos para o carro e dirigimos por mais 90 minutos até quase termos perdido a luz do dia. Em momento nenhum eles disseram ‘Peraí, você arrastou a gente até aqui, depois de quatro horas e meia no carro e você não vai nem mostrar o nosso rosto?’. Eles pareciam estar realmente envolvidos.

E, como você disse, parece que reagiram muito bem ao vídeo.
Parece mesmo.

Também parece que muitas pessoas reagiram emocionalmente ao video. Muitas pessoas disseram ter derramado algumas lágrimas.
Ah, que legal. Sem dúvida, é ótimo fazer alguma coisa que nenhuma outra pessoa tenha feito. Estávamos um pouco preocupados com o U2 lançar um clipe com girafas andando de pedalinho antes da gente, mas, com sorte, isso não aconteceu. Acho que às vezes, o Coldplay é acusado de se levar a sério demais. Eles realmente levam a música deles muito a sério, mas eles não levam eles mesmos muito a sério. Acho que foi ótimo eles terem se divertido assim. Foi como ter voltado para a faculdade com eles. Mas acho que a dinâmica da banda ainda funciona.

Parece, então, que foi uma grande aventura para você.
Foi mesmo. No começo, eu pensei que não ia ter pressão porque tudo estava sendo feito tão no último minuto que, mesmo que voco estragasse tudo, não ia ter problema. Mas, quando você está fazendo a coisa, você se dá conta que você não quer desapontá-los. A gente se divertiu muito, mas também nos certificamos de que o trabalho final fosse bom.

E, felizmente, foi.
Obrigado, cara. Foi uma experiência e tanto, com certeza. Na parte que o elefante está dançando na frente de uma parede grafitada foi numa área barra pesada da Cidade do Cabo. O pessoal de segurança não acreditava que a gente estava ali, mas o Chris vestiu a fantasia de elefante e fez o que tinha para fazer. E a gente apareceu naquela loja de bicicleta literalmente cinco minutos antes de começarmos a gravar e perguntamos para o cara consertando as bicicletas se ele poderia aparecer no clipe. Ele estava muito tímido, mas foi ficando cada mais envolvido. Foi só quando o Chris tirou a cabeça que todo mundo percebeu quem era. Eles até tinham ido no show. Ou seja, foi divertido. Seria legal tentar fazer alguma coisa parecida algum dia.

Para terminar: quem fez o papel dos guardas do zoológico?
Bom, a gente fez testes com mais ou menos cem atores, mas, inevitavelmente, o nepostismo ganhou e o Chris puxou a brasa para a sardinha do quinto integrante do Coldplay, o Phil Harvey, e do Tim Crampton, do The High Wire. Ele tinha ficado impressionado com as suas excitantes imitações de Elvis de  Christmas Lights e também com a pontualidade deles. Mas, sobretudo, eles estavam dispostos a trabalharem de graça. No começo, a intenção era juntar eles com o Simon Pegg, mas o ego gigantesco da mega-estrela de Tintin [Pegg interpreta um dos detetives Dupond e Dupont] e sua agenda desumanamente apertada tornaram isso impossível.

error: Content is protected !!