Discografia

Orphans / Arabesque

Singles

Lançamento: 24 • 10 • 2019

No dia 22 de outubro, o Coldplay atualizou o site oficial – tirou as imagens de lua e sol, que estavam lá por pouco tempo e já antecipavam os temas “Sunrise” e “Sunset”, e adicionou uma página com o mesmo texto enviado dias antes para fãs através de uma carta. Com a atualização, a banda confirmou o álbum duplo intitulado “Everyday Life” e adicionou um cronômetro que iria terminar no dia 24 de outubro. Um dia antes do fim, a tracklist do disco foi espalhada por alguns jornais ao redor do mundo – inclusive no brasileiro “O Globo”. Nas páginas impressas os fãs descobriram que o álbum contaria, ao todo, com 16 canções.

Quando o contador de horas terminou o Coldplay surpreendeu e lançou duas músicas de uma vez: “Arabesque” e “Orphans”, sendo a primeira faixa integrante do lado Sunrise (nascer do sol) e a segunda do Sunset (pôr do sol). Seguindo a proposta de divulgação à moda antiga, o grupo publicou lyric videos que apresentam uma vitrola em movimento, além das letras das músicas em um aspecto visual de datilografia.

“Arabesque” surpreendeu os fãs e a crítica logo que foi lançada. A faixa explora sons de saxofone e outros caminhos que divergem do resto da discografia da banda. Com melodia crescente e explosiva, a canção também não fica atrás no quesito composição. A letra fala a respeito de igualdade, sobre compartilhar o mesmo sangue. “Eu poderia ser você, você poderia ser eu”, canta Chris. Em outro momento, o verso “A música é a arma do futuro” promove um posicionamento claro. A cereja do bolo é a participação de Stromae cantando em francês.

Já a faixa “Orphans” chegou com uma proposta mais comercial e logo se revelou o single carro-chefe do álbum – contrastando sua melodia positiva com a mensagem potente da composição. Nos primeiros versos, que se repetem no refrão, diversas vozes cantam “Eu quero saber quando eu posso voltar e ficar bêbado com meus amigos”. Isso é potencializado em outra passagem que diz: “Eu quero saber quando eu posso voltar e me sentir em casa de novo”. Os versos dialogam com o questionamento de refugiados sírios, que sonham em se encontrar novamente com familiares e amigos dos quais eles foram forçados a se afastar. Isso aconteceu por conta dos ataques aéreos que assolaram a Síria em 2018 e que aprofundaram os conflitos que começaram em 2011 (e que nos anos seguintes se transformaram em uma grande guerra civil). Logo em seguida, a letra Rosaleem dos damascenos (referência ao fato de ela ter origem em Damasco, capital da Síria). A jovem tinha olhos como a lua e o sonho de ir para as telas do cinema, porém morreu em uma chuva de mísseis. Chris também canta sobre o pai de Roseleem. “Baba”, que também foi vítima do conflito, era um homem que sabia semear e que ia aonde as flores cresciam (o que coincide com o nome Roseleem e o seu significado variante de rosa, uma flor). Assim como “Orphans”, logo percebemos que o álbum tem reflexões sobre a Síria e o Oriente Médio em geral . Não por acaso a banda fez o show de lançamento do “Everyday Life” na Jordânia. O país está entre os 10 que mais receberam refugiados sírios.

Outro ponto que chama a atenção em “Orphans” é que a faixa conta com Moses e Apple Martin, filhos de Chris, nos vocais de apoio (Moses também assina a composição). No dia 25 de outubro de 2019, o single ganhou um clipe dirigido por Mat Whitecross. Com quatro minutos de duração, o vídeo começa transportando os fãs para um universo mais intimista em que Chris Martin primeiro conversa com o filho Moses e depois carrega apenas um violão pelas ruas de Nova York enquanto canta versos da faixa. Na sequência, a banda leva os fãs do estúdio a um jardim para prepará-los para momentos com explosão de cores e muitas projeções. A partir daí os takes são alternados com imagens filmadas na praia de El Matador, em Malibu, e em um estúdio que constitui o cômodo de uma casa com referências ao Oriente Médio e que conta com takes desafiando a gravidade. No fim do clipe, a banda interage com vários jovens que seguram placas com versos da canção. A tela final do vídeo destaca a “hopeland”, uma organização que trabalha para achar soluções para crianças que foram separadas de suas famílias em situação de migração forçada (por guerra e outros motivos).

No Reino Unido, o desempenho comercial foi bom e “Orphans” chegou ao 27º lugar na UK Singles Chart. Nos Estados Unidos a melhor colocação foi a 28ª posição na Hot Rock & Alternative Songs, uma das listas secundárias da Billboard. Em compensação, em dezembro a Billboard classificou “Orphans” como a 93ª melhor música de 2019. E, ainda em território estadunidense, no dia 31 de agosto de 2020 o vídeo da faixa venceu o VMA na categoria Melhor Clipe de Rock.

Faixas: