Coldplay se despede do Brasil com showzão em Porto Alegre

Vitor Porto
13 nov 2017

A apresentação do último sábado (11), em Porto Alegre, marcou o primeiro show do Coldplay no Rio Grande do Sul e encerrou a passagem da turnê A Head Full Of Dreams pelo país. Antes de tocar para os gaúchos, a banda passou por São Paulo nos dias sete e oito de novembro.

Nós estávamos na Arena do Grêmio e aqui relatamos os destaques do show:

Segundo a organização, o público foi de 59 mil pessoas;

Foto de Rafaela Fernandes @rafyfa

A estrutura do show em Porto Alegre foi a mesma da Europa, América do Norte e, mais recentemente, São Paulo (em 2016, os shows em São Paulo e no Rio de Janeiro contaram com uma estrutura tecnicamente e visualmente ‘inferior’)

Foto de Andréa Graiz da Agencia RBS

Foto de Viva Coldplay

Nos shows em São Paulo, Phil Harvey e Chris Martin apareceram no telão para anunciar que as apresentações na capital paulista seriam gravadas. Diferente dos dois shows no sudeste, no Sul não foi feito nenhum anúncio de filmagem e o diretor Mat Whitecross não estava na cidade. Apesar de nenhuma promessa de aparição em DVD, várias câmeras estavam espalhadas pela Arena do Grêmio e agora a banda tem um novo show no arquivo

Foto de Viva Coldplay

Os gaúchos tiveram que lidar um pouco mais com a ansiedade pré show, pois Guy, Jonny, Will e Chris entraram no palco pouco depois de 21h20 (o show estava marcado para às 21h);

O pessoal de São Paulo fez bonito preenchendo o estádio com balões amarelos, mas os fãs de Porto Alegre certamente foram os que mais levaram a sério o Flashmob proposto por nós e pelos amigos do Coldplay Brasil. Foi realmente impressionante o quanto toda a arena foi inundada por balões amarelos!

Mesmo pedindo desculpa pelo português “ruim”, Chris Martin deixou todo mundo eufórico ao soltar frases como: “Boa noite, gaúchos” e “estamos muito, muito felizes de estar aqui com vocês em Porto Alegre. Muito obrigado”. Tudo no nosso idioma;

Foto de Mariana Carlesso

Ricardo Giusti / Correio do Povo

Anderson Fetter – Agência RBS

Anderson Fetter – Agência RBS

Durante “Every Teardrop Is a Waterfall” não foi só a bandeira do Brasil que fez parte do momento. A bandeira do Rio Grande do Sul incialmente estava amarrada no violão, depois foi pra cabeça e terminou no microfone. Quando erguida por Chris, ela levou o público ao delírio;

Foto de Gabrielle Guimarães

Ricardo Giusti / Correio do Povo

Foto de Mariana Carlesso

Ricardo Giusti / Correio do Povo

Os fãs presentes mandaram bem, cantaram alto o hit atemporal “The Scientist” e receberam um elogio do vocalista: “maravilhoso”, ele disse em português;

“Birds” foi a escolha de 5ª música do setlist. Nos dois shows anteriores, em São Paulo, essa posição variou entre “God Put a Smile Upon Your Face” (dia sete de novembro) e “Birds” (dia oito);

Via @Coldplay

Anderson Fetter – Agência RBS

Anderson Fetter – Agência RBS

No Palco B, no final da passarela, a banda se reuniu pra cantar “Always in My Head” e “Magic”

Foto de Viva Coldplay

Guy, Jonny e Will deixam o palco B enquanto Chris ficou por lá. Antes de apresentar “Everglow”, o vocalista agradeceu o esforço dos fãs para chegarem até o show e citou o alto preço dos ingressos e o trânsito entre as atitudes do público que merecem ser valorizadas;

Foto de Viva Coldplay


Vídeo de Viva Coldplay

Ele também comentou que se o mundo tivesse o amor que estava rondando na arena naquela noite então seria um lugar muito melhor e pediu para que os gaúchos enviassem amor para todos os cantos do mundo;


Vídeo de Viva Coldplay

Em um dos momentos mais empolgantes da noite, Chris elogiou a recepção do público brasileiro e brincou que tem vontade de se mudar para o Brasil: “Toda a nossa vida é baseada em conectar as pessoas ao redor do mundo e tentar ver todos como uma única família na terra. Mas quando a gente vem ao Brasil não tem como não pensar: o público é incrível e eu quero mudar para o Brasil


Vídeo de Viva Coldplay

Assim como aconteceu em vários shows anteriores, a banda parou a apresentação de “Charlie Brown” e Chris pediu para o público largar os celulares por ao menos uma música: “depois vocês podem enviar mensagens, fazer tweets”, ele disse antes de retomar a canção e completar: “nós queremos fazer desse show o melhor”. Confira o momento:

Anderson Fetter – Agência RBS

O Palco C, que fica na Pista, repetiu o elemento surpresa dos shows recentes e a capacidade de apresentar mudanças no setlist

Foto de _giustiheloisa

No show em São Paulo, no dia sete de novembro, “Til Kingdom Come” e “Us Against the World” entraram no repertório do palco C. Já no show do dia oito de novembro, também na capital paulista, “Us Against the World” continuou e “Til Kingdom Come” saiu para a entrada de uma música que a banda escreveu no nosso país e que segue uma vibe Tom Jobim. Jon Hopkins foi convidado para performar a música nova, que no setlist aparece com o título de “Brasileiros”, com a banda;

Registro de Porto Alegre via @Coldplay

No show de Porto Alegre, a bela “Don’t Panic” entrou no repertório e causou comoção nos admiradores do álbum “Parachutes”. Sem “Us Against the World”, a música para os brasileiros continuou no setlist e os versos que diziam “paulistas” foram substituídos por “gaúchos”. Tudo isso também com a presença de Jon Hopkins. Uma homenagem ao Brasil que Chris diz “ainda não estar finalizada”;

Assim como em São Paulo, Will Champion emprestou sua bela e suave voz para o clássico “In My Place”. Com certeza um presente para o público brasileiro, pois foi no nosso país que o baterista se arriscou nos vocais da música pela primeira vez;

Foto de @Coldplay

Ainda neste palco, Chris apresentou todos os membros da banda de maneira bem pessoal e afetuosa;

Foto de @Coldplay

De volta para o palco principal, a canção “Life Is Beautiful” ganhou sua quarta apresentação pública em toda a história (antes dos shows no Brasil a banda só tinha colocado a música no setlist do show na cidade de San Diego, em outubro);

Foto de Gabrielle Guimarães

Durante “A Sky Full Of Stars” o fã Thiago Gonçalves, subiu ao palco e vestido de elefante dançou com Chris Martin. Muita gente brincou com o fato de Thiago lembrar um pouquinho o vocalista do Coldplay, mas isso faz sentido se a gente contar que ele é vocalista da banda Coldplay Cover Brasil

Foto de Viva Coldplay

Foto de Viva Coldplay

Com toda a positividade da música “Up&Up” no ar e uma grande queima de fogos no céu, o show foi encerrado com a união da banda no palco e com o beijo de Chris Martin numa bandeira do Brasil estendida por ele no palco;

Foto de Gabrielle Guimarães

Antes de desaparecer da visão dos fãs, Chris Martin tirou a camisa e a jogou para a plateia. O fã Rafael Ventura foi o sortudo que pegou o figurino e o levou pra casa


Vídeo de Becah Maciel

Foto de Rafael Ventura

Setlist do show do dia 11 de novembro de 2017, em Porto Alegre:

Foto de Viva Coldplay

* Sem Amazing Day e com Don’t Panic no palco C

Foto de Viva Coldplay

Racismo não!

O show em Porto Alegre nos deu mais uma oportunidade de acreditar na humanidade. É que o Gabriel estava na plateia do show no Rio Grande do Sul! Quem é Gabriel? O fã estava no show que aconteceu no dia sete de novembro, em São Paulo. Ele é um homem negro que comprou seu ingresso como todo mundo, mas que foi detido e agredido pela polícia depois de duas mulheres brancas reclamarem que ele estava ‘na frente delas’. Na oportunidade, Helena Vasconcellos, amiga de Gabriel, declarou: “a polícia entendeu que o negro não pertence ao show do Coldplay, mesmo tendo comprado ingresso”.

Depois de toda a repercussão do caso inadmissível de racismo, outra amiga de Gabriel, Ana Rodrigues, fez um post pedindo ajuda para leva-lo para assistir ao show da banda em Porto Alegre e então ela viu uma forte “rede de solidariedade” crescer na internet. Com a ajuda de uma companhia área e uma vaquinha virtual, várias pessoas se uniram para conseguir ingresso e passagens para o Gabriel.

Foto de Ana Rodrigues

Um final lindo para um triste episódio que jamais poderia ter acontecido. Se você vai ao show do Coldplay então deveria saber que a banda luta contra o racismo. Infelizmente o Brasil ainda é um país muito racista e nós não podemos nos calar diante de manifestações racistas.

Encerramento da turnê

E foi com o belo show em Porto Alegre que o Brasil se despediu da turnê A Head Full Of Dreams!

Em suas primeiras apresentações, em abril de 2016, a AHFODTour veio pro Rio de Janeiro e pra São Paulo e em novembro de 2017, próximo de seus dois últimos shows, repetiu a capital paulista e acrescentou Porto Alegre em sua rota.

Os cinco shows da A Head Full Of Dreams Tour no Brasil foram maravilhosos! Um presente para tantos brasileiros que tiveram a oportunidade de curtir o belo espetáculo proporcionado pela banda.

Nos dias 14 e 15 de novembro Coldplay encerra a tour mundial no mesmo lugar em que ela começou, ou seja, na Argentina.

Obrigado pelos shows incríveis no Brasil, Coldplay!

Já estamos ansiosos pela próxima turnê!

Vitor Porto

  • Pedro Tacama

    Obrigado! Adorei a forma sensível com que foi relatado o show. E vcs q foram ao show são sortudos pq eu queria ter escutado dont panic ao vivo!!

  • Pâmela Sousa

    Que materia show de bola! Vcs não foram só citando música, vcs realmente colocaram o q aconteceu de diferente aqui. Ameeei. Bjs