15 anos de “A Rush Of Blood To The Head”

Vitor Porto
26 ago 2017

O incrível A Rush of Blood to the Head é o segundo álbum de estúdio do Coldplay! O lançamento foi há exatamente 15 anos, ou seja, no dia 26 de agosto de 2002.


Hoje estamos aqui comemorando porque o CD é uma verdadeira obra prima! Muitas garotas têm uma grande festa quando completam 15 anos, certo? É nessa vibe grandiosa que vamos exaltar o marcante trabalho do Coldplay que hoje está aniversariando!

Vale começar com números gerais:

3 Grammy Awards; 2 BRIT Awards; mais de 17 milhões de cópias, 8º mais vendido do século XXI.

Agora, aprofundando, vale dizer que pouco antes de o álbum ser lançado, o single In My Place já estava na praça e fez uma ótima propaganda no período de pré-lançamento. O single se tornou um sucesso em vários países, incluindo Reino Unido, Canadá e Irlanda.


Na Irlanda, “In My Place” conquistou a primeira posição entre as músicas mais tocadas! Já no Reino Unido o single estreou na 2ª posição e só perdeu para o recém-campeão do Xfactor (ele se chamava Darius e o single era intitulado “Colourblind”).


Poucos dias depois, em 26 de agosto, o álbum finalmente chegou às lojas. No Reino Unido, casa da banda, a gravadora responsável pelo lançamento foi a Parlophone. Já nos EUA, o álbum chegou às prateleiras no dia posterior através da Capital Records.


A banda assinou a produção do trabalho ao lado de Ken Nelson. Após a explosão mundial do álbum de estreia, o Parachutes, o disco aniversariante de hoje foi responsável por mostrar um Coldplay ainda mais imerso nos sons de guitarra e piano. Os singles atemporais In my place, The Scientist, Clocks e God Put a Smile Upon Your Face são filhos bem sucedidos da obra.


“A Rush of Blood to the Head” alcançou o topo das paradas no Reino Unido já em sua semana de estreia. Nessa primeira semana o disco conseguiu cerca de 270 mil cópias vendidas por lá. Também na Grã-Bretanha, posteriormente a obra garantiu a 8ª posição entre os mais vendidos do século XXI e desde o lançamento o mesmo trabalho já acumulou nove certificados de Platina e mais de 2,8 milhões de cópias (isso considerando apenas as vendas da terra da rainha).


Nos Estados Unidos o desempenho foi muito mais favorável do que o do álbum de estreia da banda. Após Yellow tornar Coldplay um grande sucesso nos EUA, o segundo álbum já chegou ‘sentando na janelinha’ e conseguiu mais de 144 mil unidades vendidas na primeira semana. A estreia foi na 5ª posição da Billboard US (um salto bem grande em comparação ao primeiro álbum, Parachutes, que estreou na 189ª posição). Clocks foi um grande hit e só como single vendeu mais de um milhão e meio de cópias em terras estadunidenses. E ainda falando sobre a indústria norte-americana, hoje o álbum já foi certificado quatro vezes disco de Platina.

PRÊMIOS

Além do grande sucesso comercial, o “A Rush Of Blood To The Head” foi muito elogiado pela crítica e assim conquistou indicações nas principais premiações.

Na maior premiação musical do mundo, Grammy Awards, a obra venceu, em 2003, o prêmio de “Best Alternative Album/Melhor álbum alternativo”. No mesmo ano, In My Place levou o troféu de “Best Rock Performance by a Duo or Group with Vocal/Melhor Performance de Rock por um Duo ou Grupo com Vocais”. Nessa edição a banda fez uma performance marcante de Politik:


Ainda notável mesmo um ano após o lançamento, em 2004 o hit Clocks, faixa integrante do A Rush, garantiu o Grammy de “Record of the Year/Gravação do ano”. Portanto, A Rush Of Blood To The Head possui três Grammy Awards!

Voltando para 2003, mas mudando de premiação, nos Brit Awards daquele ano a banda venceu “Best British Album/Melhor álbum britânico”! Além disso, apesar de não ser diretamente pelo álbum, Coldplay também garantiu os BRITs de “Best british group/ Melhor grupo britânico”. Tudo na mesma Era, então podemos colocar 2 BRITS na conta do AROBTTH. O evento é a maior premiação musical do território britânico.


Também no positivo ano de 2003, o lançamento do “A Rush Of Blood To The Head” mal tinha acontecido e já tinha ocupado a 466ª posição na lista que a revista Rolling Stones promoveu para festejar os 500 maiores álbuns de todos os tempos.

10 anos depois, em 2013, o álbum ficou entre os primeiros colocados em ranking em que os ouvintes da rádio BBC elegeram os seus álbuns favoritos de todos os tempos. Na mesma época, e na mesma rádio, um de seus singles ocupou o primeiro lugar entre as melhores músicas de todos os tempos (acertou quem disse “Clocks”).

CURIOSIDADES

• A Rush of blood to the head alcançou a primeira posição em vendas em dezenas de regiões. Entre elas podemos citar Canadá, Dinamarca, Itália, Reino Unido, Suíça e, inclusive, Brasil! Aqui o disco alcançou certificado de ouro!


• No Metacritic os profissionais avaliaram o álbum em 80/100 (essa é uma nota alta). Já os usuários ‘amadores’ deram 8.9 (de 10). Lá o A Rush tem o histórico de álbum mais comentado de 2002, também aparece em 5º lugar entre os discos mais compartilhados do mesmo ano e ainda figura na 48ª posição na lista de melhores álbuns de 2002. Na época do lançamento, a revista Rolling Stone deu quatro (de cinco possíveis) estrelas para o álbum. Já a NME avaliou o CD com a nota nove (de 10).

• A arte da capa do CD é assinada pelo fotógrafo Sølve Sundsbø. Chris viu a imagem em uma revista de moda e pediu a autorização para usar como capa. Posteriormente o fotógrafo explicou que a cabeça foi cortada porque ele usou uma máquina que só digitalizava até 30 centímetros e assim o rosto da modelo não foi exposto em sua totalidade.


• As capas dos singles também são obras de Sundsbø e elas contaram com a proposta dele de digitalizar a cabeça de cada membro da banda. Sølve Sundsbø também foi o responsável pela arte da capa do Live 2003, outra herança brilhante da era A Rush Of Blood To The Head.


• Uma Era genial só podia ter um registro a altura, não é? O álbum ao vivo Live 2003 foi filmado em Sydney em julho de 2003 e lançado em novembro do mesmo ano. Na 47ª edição do Grammy o registro foi indicado na categoria “Best Long Form Music Video”. Neste trabalho está a bela canção Moses que foi escrita por Chris Martin sobre a então atual esposa Gwyneth Paltrow. Anos depois, em 2006, a canção inspiraria o nome do segundo filho de Martin com sua hoje ex-esposa.


• Em formato de DVD e CD, o Live 2013 tem um repertório sensacional. Músicas como See you soon (do EP Blue Room) e One I Love (do álbum single de In My Place) estão incluídas.


• Certa vez, Chris Martin confidenciou ter ficado obcecado por In My Place. Inclusive, essa canção foi a primeira do álbum a ser gravada e foi a partir dela que todo o disco ganhou forma e inspiração. Não é coincidência que a canção tenha sido escolhida como primeiro single do álbum, né?

• Para o clipe de The Scientist, Chris teve de aprender a letra da canção ao contrário. Tudo isso porque a gravação do vídeo do segundo single do álbum se deu de frente para trás (o fim era o início e o início era o fim), ficando ao contrário somente na hora da edição.


Clocks, faixa que está no álbum e que foi considerada pela BBC a melhor canção da década, foi construída concretamente a partir de toques decisivos de Phil Harvey (quinto membro do Coldplay).


• Além do nome do álbum (que a banda já afirmou falar sobre fazer algo de maneira impulsiva), A Rush Of blood to the head também é o título de uma das faixas e Chris já comentou que o nome da música é uma homenagem ao exímio guitarrista e artista Johnny Cash.

• As 11 faixas são todas incríveis e, em minha opinião, formam um dos melhores álbuns de toda a história! As preciosidades são os quatro singles já citados aqui mais Politik, Daylight, Green Eyes, Warning Sign, A Whisper, A Rush of Blood to the Head e Amsterdam. Só hinos!


Números do álbum mais vendido da carreira do Coldplay (em esfera mundial):

Estimativa:
Reino Unido: 2,800,000+ 9xplatina
EUA: 4,400,000+ 4xplatina
Canadá: 400,000+ 4xplatina
Europa: 5,000,000+
Total mundial = 15m (mais de 17 milhões na última atualização).

Vendas na primeira semana (Reino Unido): 273,924

“X&Y” e “Viva La Vida or Death And All His Friends” superaram o número de vendas na primeira semana, mas só no UK (não mundialmente).

Venda do single The Scientist nos Estados Unidos: 530,000

Venda do single Clocks nos Estados Unidos: 1,600,000

Além de ser um álbum magnífico o A Rush ainda é um grande sucesso comercial. Melhor dos tempos!

Eu realmente amo o “A Rush Of Blood To The Head”! Entre a equipe do Viva, a maioria tem o álbum aniversariante e o “X&Y” como favoritos. No meu caso, posso ser parcial e confessar para vocês que o segundo álbum de estúdio da banda é o meu preferido entre todos do Coldplay (por isso estou aqui exaltando e comemorando os 15 anos de lançamento dele).

Viva o AROBTTH!

Agradecimentos: Coldplay.com, Metacritic, IMDb, Coldplaying, Grammy Awards, Brit Awards, Youtube, Spotify, Tumblr.

Vitor Porto